Guia de viagem – Marrocos

Planeje sua viagem a Marrocos!

Todas as informações necessárias e sugestões de roteiros para você escrever no seu diário uma magnífica viagem.

Marrocos

Como ir?

Algumas cias aéreas europeias  e do Médio Oriente voam para Casablanca. As principais cias são:

Royal Air Maroc              
Ibéria
Latam (até Madri com Latam, depois voos da Ibéria ou Air Royal Maroc)
TAP
KLM
Lufthansa
Alitalia 
Airfrance
Turskish Airlines

Quando ir?

Durante os meses de junho a agosto as temperaturas poderão chegar aos 40 graus. Entre outubro
maio a temperatura é ideal, pois eles estarão entre o outono e a primavera, onde a temperatura é mais amena.

Quantos dias ficar?

Geralmente os tour em Marrocos são entre 7 a 12 noites. Em 7 noites é o suficiente para visitar as cidades imperiais como são conhecidas: Casablanca, Rabat, Fez e Marrakesh. Para aqueles que querem estender a estadia um pouco mais nesse país, 10 noites é recomendável para além das cidades imperiais, visitar por exemplo: Tanger, Essaouira, Ait Benhaddou  e Vale Todgha

Qual a voltagem e o tipo de tomada em Marrocos?

A voltagem é de 220 e a tomada é do tipo europeu – dois furinhos redondos (figura C).

Qual a moeda?

Dirham Marroquino é a moeda deles, mas poderá chegar no país com euros ou dólares e trocar nas casas de câmbios, alguns hotéis fazem o cambio,  os cartões de todas as bandeiras são aceitos em hotéis, restaurantes e lojas.

Que roupa usar?

Em se tratando de um país arábe, mesmo que seja verão é importante o uso de roupas sem decotes, longas e nada justo. Roupa leve e confortável, assim como sapatos confortáveis é essencial. Para mulheres, mesmo se for levar algo que mostre os ombros não se esqueça de levar uma echarpe. Caso viaje no período de verão, leve roupas claras.

Clima em Marrocos

O clima, de maio a outubro, tem temperaturas agradáveis e dias ensolarados. Os invernos são suaves e ensolarados nas cidades baixas e frio e irrigado nas regiões montanhosas  com nevadas no Atlas. Nas proximidades do Saara, os ventos secos podem aumentar a temperatura até 45° C (especialmente no mês de agosto).

Onde ficar em Marrocos?       

Algumas cidades marroquinhas como Fez, Rabat e Marrakesh possuem Medinas, que é a parte antiga da cidade separada por muralhas.

E portanto há opções de se hospedar dentro das Medinas, onde poderá ter mais contato com a cultura marroquina.
Em Fez a Medina é muito confusa, parecendo um labirinto com suas ruas estreitas, em Marrakech as ruas da Medina são mais largas, facilitando a circulação.
Mas atenção, pois nas Medinas não são permitidos acessos com carros, dessa forma deverá alugar uma carroça para transportar as malas.

Além de hotéis de bandeiras reconhecidas e hotéis menores, ou hostel, em Marrocos tem a opção de se hospedar em Riad que é uma casa com pátio interno ou palácio com jardins, que têm no máximo 10 quartos. Eram as casas que habitavam os burgueses, que com o passar do tempo se mudaram para cidades maiores. Esses Riads faz com que o hospede tenha mais aproximação com os marroquinos – as melhores cidades para esse tipo de hospedagem são: Marrakech, Fez e Quarzazate .

Em Casablanca, o centro financeiro de Marrocos, poderá escolher a opção de se hospedar em Corniche, que está próximo a Boulevard de l’Ocean Atlantique e a Praça Mohamed V.

No Deserto têm duas opções de acampamento:
luxo – com banheiro privativo e camas de armação;
normal – com banheiro coletivo e colchão no chão ou albergues.

Rabat é a capital marroquina, e as opções de hospedagem são: Uday e Medina, os bairros mais tradicionais, estão localizados próximo ao litoral. Os bairros de classe alta:  Les Orangers, Mabel, ou Agdal Hay Riad Hassan, possuem mansões e casas luxuosas.

Em Marrakesh fora, porém perto da Medina, uma opção de hospedagem é no bairro francês ou o bairro moderno – Guéliz.

Em Fez, a opção é dentro da Medina na zona Bad Bou Jeloud, ou então fora da Medina em Ville Nouvelle.

O que visitar em Marrocos?

Casablanca: Mesquita Hassan II, Avenida Mohamed V, Catedral Sagrado Coração, Souk de Habous, Morroco Mol, Comiche.

Marrakech: Praça Djemas El Fna, Palácio Bahia, Túmulos Saadianos, Estação de trem,  Avenida Mohamed V, Mesquita Koutubia e Jardins, Jardim Majorelle, Teatro Real, Souks, Palmeiral, Escola Corânica – Madrassa Ben Youssef, Museu de Marrakech,.

Méknes: Tumulo Moulay Ismail, Sitios Reias, Praça Lahdim, Portas da Cidade – Bad Mansour el Aleuj, Lago Agdal, Volubilis (a 25 Km da cidade).

Rabat: Palácio Real, Mausoléu Mohamed V e Torre Hassan, Kasbah L’Oudaya, Ruinas Chellah.

Fez: Medina, Medina na parte El Bali, Bairro Judeu, Madrassa Bou Inania, Biblioteca, Souk, visitar alguma fábrica de couro,  Palácio Real – visitas somente por fora,  Universidade e Mesquita de al-Quaraouiyine – (a universidade mais antiga do mundo) – visitas somente por fora, é proibido a entrada de não mulçumano.

É necessário visto para entrar em Marrocos?

Não, brasileiros podem entrar em Marrocos sem visto, apenas com o passaporte com validade mínima de 6 meses, podendo ficar até 90 dias como turista.

É necessário vacina para entrar em Marrocos?

Não.

Qual o fuso horário em Marrocos?

Marrocos está no mesmo horário UTC, portanto 3 horas a mais que o Brasil (horário de Brasilia), mudando no horário de verão, onde se adianta 1 hora.

É recomendado usar seguro saúde?

Não só como em Marrocos, mas em qualquer outro pais, o seguro saúde é bem recomendado, e algumas seguradoras tem seguro até contra extravio de malas. Vale a pena contratar.

 Qual o idioma falado pelos marroquinos?

Os idiomas oficiais são: árabe, tamazight  e francês. Nos atrativos turísticos o inglês e espanhol é usado. E muitos  pacotes turísticos oferecem guias falando espanhol.

Quanto dinheiro levar?

Como todo país árabe, a barganha faz parte da cultura, então para compras sempre é possível levar um bom preço, a comida também não é cara, e se optar por pacotes, geralmente são oferecidos meia pensão ou pensão completa – ou seja – café da manhã e jantar, ou café da manhã, almoço e jantar. Na cotação em Agosto/2015 € 1  é equivalente a 11 Dirhans, o ideal é que não troque todo o dinheiro assim que chegar no país , pois se não usar tudo o cambio para euro é baixo, dessa forma perderá dinheiro. O ideal é trocar entre € 250,00 a € 300,00 e caso tenha mais necessidades, poderá trocar mais, ou pagar em euro, já que em muitos lugares eles aceitam essa moeda. 

Tempo de viagem  desde Casablanca  a cidades próximas:

Em ônibus:

Casablanca                         Rabat                                   1h

Casablanca                         Fez                                        4h

Casablanca                         Marrakech                         3h30

Casablanca                         Meknes                              3h30

Casablanca                         Tanger                                 3h30

Casablanca                         Chefchaouen                    4h

Casablanca                         El Jadida                              1h20

Casablanca                         Safi                                        3h

Onde comprar?

Nada tem preço fixo e pechinchar faz parte da cultura marroquina. Portanto não tenha dó de oferecer muito menos pela mercadoria. Tente não demonstrar interesse pelos artigos, pois quando isto acontece, eles tentarão te vender a mercadoria até quando você já tiver saído da loja. Se quiser efetuar uma compra, entre no jogo e se possível faça uma pesquisa entre as lojas.

Os mercados centrais das medinas são as melhores opções de compra. De babouchies (os típicos sapatos de couro muçulmanos) a especiarias, passando por cerâmicas, trabalhos em madeira ou ferro, roupas típicas, luminárias e tapeçarias. A variedade é grande.

Outro artigo característico que vale atenção são os produtos de beleza à base de óleo de argan, uma variação de oliveiras típicas da região.

Dervixes Dançantes

Dervixes – Capadócia

Mevlana, grande filósofo, foi o fundador da seita místico-religiosa dos Dervixes Dançantes que ainda hoje constitui uma das mais altas expressões do folclore e da tradição turca.

É uma cerimônia de dança-meditação, que consiste em uma dança masculina girando no sentido anti- horário usando um chapéu que parece um grande dedal e acompanhada por música de tambores e flautas.

Os dervixes vestidos com túnicas brancas cobertas de capas negras giram ao redor da sala por três vezes; os três giros representam as três causas que levam a Deus: a via da ciência, a via da Intuição e a via do Amor. Lentamente começam a girar a mão direita levantada com a palma virada para o céu para receberem a Graça; a mão esquerda mais baixa e com a palma virada para o chão para transmitir essa Graça ao mundo e a União com a Realidade Suprema.

Os dançarinos giram em torno do próprio eixo, simbolizando a ascendência espiritual para a verdade, acompanhados pelo amor e liberados do ego. Os giros quase em estado de transe dos homens transmitem uma experiência mística para o espectador.

Podem ser chamados de: Dervixes Dançantes, Mevleví ou Rodopiantes que foi fundada pelos discípulos do grande poeta Sufí Jalal al-Din Muhammad Rumi no século XIII, na cidade turca de Konya. A palavra dervixe vem do persa e significa mendigo, ou mendigo religioso,  se refere a um muçulmano asceta que foi praticante da renúncia do prazer e satisfação de algumas necessidades primárias, com o fim de atingir a iluminação espiritual, do segmento sufista – tendência exotérica e mística do Islã. Um dervixe é um monge muçulmano, que geralmente leva uma vida nômade de sacrifícios, fazendo votos de pobreza, humildade e castidade, vivendo de esmolas.

Os dançarinos alcançam o êxtase místico (uaÿd) em virtude da dança (“sema”), símbolo da dança dos planetas, é a oração em movimento, em que os fiéis podem girar por horas entrando em êxtase profundo, pois acredita-se que os liberta da dor da vida diária, purificando a alma e a enchendo com amor. No Oriente Médio acredita-se que quando eles estão nesse êxtase o corpo deles fica aberto para receber a energia divina, sendo assim os sultões turcos sempre consultavam os Dervixes em tempos difíceis, pois a dança  gerava um efeito relaxante e hipnótico no qual os sultões podiam buscar orientações.

A Sema, com a cerimônia de Mevlevi foi proclamada em 2005 e registrada em 2008 na Lista Representativa do Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade da Unesco.

Durante essa cerimônia acredita-se que o poder divino entra pela palma da mão direita do dervixe, apontada para cima, passa pelo corpo e sai pela palma da mão esquerda, apontada para baixo, em direção à terra. Eles não retém o poder nem o direciona, apenas aceitam que é o instrumento de Deus.

O centro de sua religião era a cidade de Konya , na Turquia, que atualmente abriga os restos mortais de Mevlana Celalettin Rumi, poeta místico e de seu filho Sultão Veled, em uma mesquita que foi convertida em museu o Tekke de Mevlana, antigo convento dos Dervixes Dançantes.

A ordem Mevlevi foi banida na Turquia por Kemal Ataturk em 1923, mas por volta de 1950 o governo percebeu que a dança dervixe era uma atração turística e permitiu a volta da realização da cerimônia dos dervixes em Konya, no aniversário da morte de Rumi.

Se tornando uma atração turística, hoje os dervixes se apresentam regularmente em alguns locais, incluindo festivais de música no estrangeiro.

Existem várias cerimônias de sufis, com características distintas entre si, mas sempre tendo por crença o crescimento interior como forma de integração com o Criador. Dizem que, enquanto um islâmico comum pode orar a Deus por obrigação, o sufi tem por objetivo unir-se a Ele.

Sugestões de Roteiros – Turquia

Capadócia

SUGESTÕES DE ROTEIROS:

Istambul e Capadócia :

  • Turquia tem muito para oferecer ao turista, desde paisagens únicas até praias belíssimas, para conhecer bem o país, o recomendado são aproximadamente 12 noites, porém para os que tem poucas noites é possível visitar as 02 principais cidades em 05 noites:
  • 03 noites em Istambul, 02 noites na Capadócia

1) Istambul

Traslado ao hotel e hospedagem. Tempo livre para conhecer por conta a  única cidade do mundo que está em dois continentes: Europa e Ásia. Hospedagem.

2) Istambul

Pela manhã city tour pela cidade, visitando Hipódromo, Mesquita Azul, Catedral de São Jorge, basílica de Santa Sofia e Gran Bazar. Pela noite, possibilidade de jantar em um restaurante típico com show de dervixes.

3) Istambul / Capadócia

Traslado ao aeroporto para embarque com destino a Capadócia. Chegada e city tour pela cidade, visitando a cidade subterrânea, Vale e Mosteiro Goreme. Traslado ao hotel. Hospedagem.

4) Capadócia

Possibilidade de fazer um sobrevoo de balão. Logo depois visita as Chaminés de Fadas e Uchisar. Hospedagem

5) Capadócia / Istambul

Traslado ao aeroporto e voo para Istambul. Traslado ao hotel. Hospedagem.

6) Istambul

Traslado ao aeroporto.

  • Para os que têm um pouco mais de tempo e deseja conhecer com mais calma o interior da Turquia –  poderá fazer o seguinte roteiro, que é o mais clássico:

03 noites em Istambul
02 noites na Capadócia
02 noites em Pamukkale
01 noite em Kusadasi
01 noite em Istambul

  • Ainda é possível adicionar 03 noites em uma praia turca:

03 noites em Istambul
02 noites na Capadócia
02 noites em Pamukkale
01 noite em Kusadasi
01 noite em Istambul
03 noites em Bodrum

Éfeso

Turquia e Grécia:

  • Um roteiro bem tradicional é a combinação com Grécia, aconselhável estar 17 noites para conhecer bem o interior da Turquia – Anatólia e as ilhas gregas, porém poderá fazer um roteiro com as principais cidades em 10 noites:
  • 02 noites em Istambul, 02 noites na Capadócia, 02 noites em Atenas, 02 noites em Mykonos, 02 noites em Santorini

1) Istambul

Traslado ao hotel e hospedagem. Tempo livre para conhecer por conta a  única cidade do mundo que está em dois continentes: Europa e Ásia. Hospedagem.

2) Istambul

Pela manhã city tour pela cidade, visitando Hipódromo, Mesquita Azul, Catedral de São Jorge, basílica de Santa Sofia e Gran Bazar. Pela noite, possibilidade de jantar em um restaurante típico com show de dervixes.

3) Istambul / Capadócia

Traslado ao aeroporto para embarque com destino a Capadócia. Chegada e city tour pela cidade, visitando a cidade subterrânea, Vale e Mosteiro Goreme. Traslado ao hotel. Hospedagem.

4) Capadócia

Possibilidade de fazer um sobrevoo de balão. Logo depois visita as Chaminés de Fadas e Uchisar. Hospedagem

5) Capadócia / Atenas

Traslado ao aeroporto e voo para Atenas com conexão em Istambul. Traslado ao hotel. Tempo livre para conhecer por conta a a capital – o centro da Grécia Antiga. Hospedagem.

6) Atenas

Pela manhã city tour pela cidade, visitando o Estádio Panatenaico, centro da cidade, Museu da Acrópole e Acrópole. Pela noite, possibilidade de jantar em um restaurante típico.

7) Atenas / Mykonos

Traslado ao porto para embarque com destino a Mykonos (viagem entre 2h 30 a 4h – dependendo da cia do ferry). Chegada e traslado ao hotel. Hospedagem.

8) Mykonos

Dia livre para aproveitar as praias dessa ilha. Possibilidade de fazer um passeio opcional de meio dia na ilha arqueológica de Delos. Hospedagem.

9) Mykonos / Santorini

Traslado ao porto para embarque com destino a Santorini (viagem entre 2h a 3h – dependendo da cia do ferry). Chegada e traslado ao hotel. Hospedagem.

10) Santorini

Dia livre para aproveitar as praias dessa ilha. Possibilidade de fazer um passeio pelo vulcão Thyrasa. Hospedagem.

11) Santorini / Atenas

Traslado ao aeroporto para embarque com destino a Atenas (viagem de 50 min).

  • Um roteiro completo pelos 02 países,poderá ser de 17 noites, o suficiente para aproveitar as cidades histórias e praias:

03 noites em Istambul
02 noites na Capadócia
02 noites em Pamukkale
01 noite em Kusadasi
01 noite em Istambul
02 noites em Atenas
03 noites em Mykonos
03 noites em Santorini

Éfeso

Cruzeiro pela Grécia e Turquia:

  • Alguns cruzeiros que saem da Grécia visitam a Turquia, e essa é opção para quem deseja conhecer o máximo das ilhas gregas e turcas, mas sem a preocupação de estar embarcando e desembarcando, são várias cia marítimas que percorrem as principais ilhas gregas, passando pela Turquia também. Abaixo informo alguns roteiros de algumas cias marítimas:
  • Tenham em conta que via de regra os cruzeiros navegam de noite e ancoram nas ilhas durante o dia. Assim terá aproximadamente 8 horas para aproveitar cada ilha. Embora o ritmo seja acelerado, é uma maneira de visitar mais destinos em menos tempo.
  • Pullmantur:
    • Atenas / Mykonos / Marmaris (Turquia) / Chania (Creta) / Santorini
  • Star Flyer:
    • Atenas / Kusadasi (Turquia) / Patmos / Amorgos / Mykonos / Spetses
  • Star Flyer:
    • Atenas / Rodes / Bodrum (Turquia) / Rio Dalyan (Turquia) / Santorini / Hydra