Guia de Viagem – Chile

Rua dos Caracoles – San Pedro de Atacama

Planeje sua viagem ao Chile!

Todas as informações necessárias e sugestões de roteiros para você escrever no seu diário uma magnífica viagem.

Chile

Como ir?

As principais cias aéreas da América do Sul voam para Santiago, capital do Chile. Desde Santiago é possível voar para as outras cidades, tanto ao norte como ao sul, ou a oeste, na Ilha de Páscoa:

Latam
Aerolineas Argentina
Gol

Onde ficar?

Santiago não é uma cidade pequena, mas para se hospedar os melhores bairros são: Providência, Las Condes, Vitacura, Lastarria e Centro.

Nas demais cidades do sul, ou de São Pedro de Atacama, as regiões centrais são as melhores. Na Ilha de Páscoa, em  Hanga Roa, a capital da ilha.

Restaurante Bali Hai – Santiago

Quando ir?

Qualquer mês é mês de visitar Chile, no verão os dias são mais longos, então é possível aproveitar bastante as visitas,  no inverno os dias são mais curtos, mas é um dos melhores lugares da América do Sul para a prática de ski.

No deserto, durante o verão os dias são muito quentes, e as noites são muito frias, durante o inverno os dias são mais frios principalmente na sombra. Uma dica valiosíssima: se um dos objetivos de visitar o deserto é admirar o céu mais limpo do mundo, então não viaje no período de lua cheia, que ofusca todo o brilho das estrelas. Nos meses de Janeiro e Março, é o inverno altiplânico, período de raras chuvas no deserto.

A Patagônia Chilena é recomendável visitar durante o verão, mesmo porque no inverno alguns hotéis estão fechados e alguns passeios não operam.

A região dos lagos é bela em qualquer época do ano, durante o verão os dias são mais longos, e durante o inverno, o charme dos picos nevados deixa o passeio mais agradável.

Na Ilha de Páscoa a temperatura é instável durante todo o ano, porém é em fevereiro que é possível ver desde um ponto da ilha a envergadura do planeta.

Caminho a Valle Nevado

Quantos dias ficar?

Depende de que parte do Chile visitará. Como Santiago está apenas 4 horas de voo desde São Paulo, uma visita a capital chilena em um feriado prolongado é possível. Porém se for estender a viagem para outras cidades recomenda-se:

Deserto, de 5 a 7 noites é o suficiente para conhecer esse lugar mágico, e fazer os principais passeios.

Na Patagônia Norte do Chile no mínimo 4 noites para poder explorar a região e fazer os principais passeios, na Patagônia Sul do Chile  entre 3 e 4 noites é o mínimo, para quem deseja fazer um  cruzeiro de expedição deverá acrescentar mais noites, pois alguns cruzeiros tem uma duração de 3 ou 4 noites dependendo da rota.

Na Ilha de Páscoa 4 noites são o suficiente para conhecer toda a ilha e fazer todos os passeios.

Na região dos lagos 5 noites também é o suficiente, para conhecer as principais cidades, e fazer a travessia dos andes.

Qual a voltagem e o tipo de tomada no Chile?

Em todo o Chile a voltagem é 220 e a tomada é do tipo europeu – dois furinhos redondos (figura C), e também com 3 furinhos redondos um ao lado do outro (figura L).

Qual a moeda?

A moeda no Chile é Pesos Chilenos, porém pode levar dólares ou reais e trocar pela moeda local. Lugares turísticos aceitam todas as bandeiras de cartão de crédito. O dinheiro poderá ser trocado em casa de câmbios em shoppings ou nas ruas do centro.

Que roupa usar?

Depende da época do ano que for visitar e quais cidades.

Em Santiago no verão leve roupas confortáveis e leves, no inverno leve roupa de frio, e não se esqueça de luvas e tocas.

No Deserto, independente da época da viagem, sempre leve roupa de frio e calor, não esqueça de protetor solar. Roupa de banho também é necessária, há passeios em piscinas naturais.

Na Ilha de Páscoa leve roupas e sapatos confortáveis, não se esqueça de capa de chuva, por ser uma ilha está sempre sujeita a rápidas tempestades, e claro não esqueça a roupa de banho.

Na região dos Lagos, mesmo no verão leve roupa de frio, por ser região montanhosa, as noites são mais frias, então tenha sempre um agasalho, e roupas muito confortáveis.

Na Patagônia Chilena, roupa de frio até no verão, devido aos ventos do sul, roupas e sapatos confortáveis são essenciais, leve capa de chuva, pois o clima é inconstante.

No Deserto, na Ilha de Páscoa e na Patagônia alguns passeios andam muito, para melhor conforto o ideal é levar alguma mochila pequena, para colocar os pertences como dinheiro, câmera fotográfica, documento e água, e ao mesmo tempo poder andar tranquila sem ter que carregar nada nas mãos e ter as mesmas livres, pois alguns passeios exigem caminhadas por trilhas.

O que visitar no Chile?

Em Santiago há muitos atrativos: Cerro Santa Lucia e Cerro São Cristóbal, são cerros dentro de Santiago que é têm uma panorâmica linda de toda a cidade.

Ainda no Cerro São Cristóbal ainda é possível visitar o Parque Metropolitano onde está o Zoológico Municipal, o Jardim Botânico (onde há muitas plantas exóticas de diversas regiões do pais como aéreas geladas, florestas e deserto) e o Observatório Astronômico da Universidade Católica.  

As vinícolas também são passeios obrigatórios: Concha y Toro, Cousiño Macul e Undurraga são uma das principais.

Como museu é possível conhecer uma das casas de Pablo Neruda (La Chascona), Museu Chileno de Arte pré-colombiana, Convento e Museu de São Francisco e o Palácio Cousiño.

O Palácio da Moneda também guarda muita história da política chilena com o golpe militar em 1973. A troca de guarda que acontece um dia um dia não é um espetáculo a parte, além do centro cultural que está no prédio da sede do governo.

Na hora do almoço a sugestão é o restaurante Giratório em Providencia, onde o próprio nome diz, ele é giratório, enquanto você come, ele gira levemente 360°, fazendo com que todos os clientes tenham uma vista maravilhosa de Santiago.

Outra opção também é o Mercado Central com sua arquitetura Art Nouveau onde há vários restaurantes que se pode deliciar-se com o famoso ceviche.

Próximo a Santiago é possível visitar o balneário de Viña del Mar – famosa por seu Casino Viña del Mar e passar pela cidade portuária e pitoresca de Valparaíso com o museu de Pablo Neruda. Conhecer também a Isla Negra onde tem a casa museu de Pablo Neruda. Próximo a Isla Negra é possível almoçar em uma vinícola super charmosa: Matetic, e se houver tempo, poderá se hospedar por uma noite.

Se a visita for durante o inverno, vale a pena fazer um passeio de dia completo a um dos centros de ski: La Parva, Vale Nevado, Portillo, El Colorado ou Farellones. No verão esses centros de ski também estão abertos, e é possível fazer um canopy, andar em teleférico, trekking, ou simplesmente admirar as belezas dos andes.

E como em entre várias montanhas há sempre lagoas, aqui não poderia ser diferente: Laguna del Inca, aos pés de Portillo – no inverno fica congelada dando lugar a área de lazer.

Pela noite em Santiago é possível conhecer o Observatório Astronômico Andino, ou ver um show no Bali Hai, onde tem apresentações de todas as tradições chilenas, ou ainda ir a um jantar típico chileno, ver e participar de apresentações no restaurante de Pablo a Violeta.

Para dançar, o bairro de Bela Vista e Lastarria tem muitos bares e danceterias.

Santa Cruz do Sul é uma região de vinícolas (Vale do Colchagua) que está próximo a Santiago, mais ou menos 3 horas de viagem, o ideal é passar uma noite nessa região.

Além das vinícolas que se pode visitar durante o dia como: Viña Santa Cruz e a Viña Montgras, é possível conhecer o Museu Colchagua (que possui um belíssimo acervo desde artefatos indígenas, coleção de veículos e uma sala dedicada ao resgate dos 33 mineiros), e pela noite ver as estrelas no Observatório Cerro Chaman ou ainda fazer uma aposta no Cassino de Colchaga.

A Rota do Vinho, nome dado ao passeio em trem que cruza os vinhedos com algumas paradas nas principais vinícolas onde é possível almoçar depois de visitar as plantações e receber informações sobre a produção de vinhos.

No Deserto do Atacama são oferecidos vários passeios e os principais são: Valle de la Luna, Valle de la Muerte,  Geysers del Tatio, Salar de Tara, Salar de Atacama, Laguna Cejar, Valle de Cactus – Puritama, Valle de Jerez e tour astronômico.

Além desses passeios, vale a pena conhecer o Valle del Arco Iris, Museu Arqueológico R.P. Gustavo Le Paige S. J., Igreja de San Pedro de Atacama, Chiu Chiu, Pukará de Tuci, Pukará de Quitor, Pukará de Lasana, Povoado de Caspana, Toconce, Toconao, Socaire e o Vulcão Licancabur.

Na Ilha de Páscoa são alguns passeios obrigatórios a todos visintanes: amanhecer em Ahu Tongariki,   Rano Raraku – a fábrica dos moais, Aldeia Cerimonial de Orongo e seu vulcão, Ahu Huri a Urenga – onde marca o solstício de inverno, Ahu Akivi, Ahu Ature Huki, Ahu Nau Nau, Maunga Terevaka, Complexo Ana te Pahu – Roiho, Ana Kai Tangata e a praia de Anakena!

No final da tarde ver o por do sol em Tahai e pela noite assistir um show folclórico Rapa Nui.

Tem um cinema na cidade, e o filme em cartaz é: “Rapa Nui”, nada melhor do que assistir esse filme na própria terra de Rapa Nui, porém o cinema só funciona em alguns dias da semana: quinta-feira, segunda-feira e terça-feira.

Para os que querem se aprofundar mais no mistério dos moais, a visita ao Museu Antropológico Padre Sebastián Englerd vale a pena.

Na Patagônia Sul é possível fazer um cruzeiro de expedição, ou se aventurar em muitos dos passeios que são oferecidos: o cartão postal da região é o Parque Nacional Torres del Paine – um belíssimo cenário geológico com uma combinação de cores espetaculares onde é possível fazer trekking e ainda observas animais que se adaptaram a essa região.

E Puerto Natales fica próximo a Torres del Paine, portanto é possível dormir nessa cidade e fazer passeios em Torres del Paine ou outros lugares como a Cova do Milodon com 200 metros de profundidade.

E perto de Puerto Natales está Punta Arenas a capital da Patagônia Chilena é o ponto de saída para as expedições da Antártica. O Cerro Mirador para quem gosta de esquiar ou simplesmente admirar a panorâmica que o lugar oferece. Na estrada do Rio Secado fica a Nau Victoria que é uma réplica do navio usado por Fernão de Magalhães e um museu sobre as grandes viagens de navio pela Terra do Fogo. A diversão noturna poderá ser no Cassino.

Ainda se pode visitar diversos lugares como: Cerro Castillo, Lago Sarmiento, Laguna Sofia, Glaciar Grey, Estreito de Magalhães, Seno Otway, Ilha Magdalena, Puerto Williams, Cabo Horn, Glaciares Balmaceda e Serrano e Lago Balmaceda.

A Patagônia Chilena vizinha da Argentina surpreende em belezas com suas montanhas, lagos e geleiras.

Na Patagônia Norte uma das principais cidades e porta de entrada é Temuco,  onde está o Museu Nacional Ferroviário Pablo Neruda com uma riquíssima coleção de marias-fumaças, pela noite poderá ter a diversão no Casino.

Pucón faz sua vez como cidade turística com sua localização próximo ao Vulcão Villarrica, no inverno é ponto de encontro aos esquiadores que praticam o esporte na estação de esqui na encosta do vulcão.

As paisagens naturais são: glaciares (Parque Laguna San Rafael), montes de neves, rios (Rio Futaleufu, Cisne, Baker, Puelo) e lagos (Lago Yelcho, Elizalde, General Carrera, Bertrand, Cochrane, Caburga, Colico,Calafquen, Budi e Villarrica) no qual esportes de aventura é que não faltarão. Para quem deseja relaxar, essa região têm muitos termas (Termas de Puyuhuapi).

Além dos seguintes lugares: Santuário de La Naturaleza Capilla de Mármol, Parque Nacional Queulat, Parque Pumalín, Parque Nacional Bernardo O’higgins, Parque Nacional Huerquehue, Parque Nacional Hornopirén, Ventisquero San Rafael, Ventisquero Jorge Montt,Reserva Nacional Palena, Reserva Nacional Rio Simpson, Reserva Nacional Futaleufu, Reserva Nacional Tamango, Reserva Nacional Cerro Castillo, Cerro Ñielol

Região dos Lagos: Tudo começa em Puerto Montt que além da paisagem falar por si, para os fissurados  por compras, poderá visitar o Mercado Angelmó. Para os amantes da natureza, motivos não faltarão: Parques Nacionais que estão na cidade vizinha Puerto Varas e Frutillar.

Durante a noite para quem aposta em uma fezinha, a cidade também tem um Casino que também tem shows de artistas de todos os estilos.

Em Puerto Varas visitar o lago Llanquihue, Parque Nacional do Rio Petrohue, Saltos do Rio Petrohue, vulcão Osorno, Lago Todos os Santos, Laguna Verde faz parte da agenda turística.

Completando a vizinhança de cidades turísticas da região, fazer uma visita a Frutillar se torna obrigatório e para quem gosta de história conhecer o Museu Colonial Alemão. O Teatro del Lago (que está sobre o Lago Llanquihue) é uma bela opção de programação noturna, uma vez que o teatro por si só já é um espetáculo.

Em Chiloé se pode chegar através de ferry que agrada a todos com suas casas de madeira colorida, as palafitas que são as casas que foram feitas em pilares sobre as águas, assim como as igrejas de madeira.

Cruce Andino: Compre uma viagem e conheça dois países. No cruce andino é assim, você pode escolher começar pela Argentina e terminar pelo Chile, ou vice-versa.

Esse cruce pode-se fazer por todo o ano, no período do verão como os dias são mais longos é possível fazer os dois tipos de cruce: rápido – que você não dorme em Peulla, ou o normal – que tem uma noite em Peulla, no inverno, como os dias são mais curtos é possível fazer o cruce normal, ou seja, com uma noite em Peulla.

Durante o cruce o percurso é feito em ônibus e catamarã. Abaixo está um mapa detalhado do trajeto, onde é feito em catamarã e onde é feito em ônibus.

Mapa do Cruce Andino – Região dos Lagos Argentina e Chile:

Deserto do Atacama:

Já tive oportunidade de conhecer vários lugares, mas sempre que alguém me pergunta: “Qual foi a sua melhor viagem?” não tenho dúvidas em responder: Deserto do Atacama!

E logo vem a resposta: “Mas um deserto? Não tem nada no deserto!” Sim, talvez por esse motivo esse lugar é mágico! Por ter a natureza intacta sem a intervenção do homem.

As cores, os formatos, os animais, o povo, tudo faz parte de um cenário harmônico entre o Pacífico e as Cordilheiras, e o que dizer da energia? Definitivamente o deserto você não visita….você sente!

O vilarejo de San Pedro de Atacama tem uma rua principal e nessa rua – Caracoles que estão os restaurantes, bares e agências de turismo.

Rodeado de vulcões a Cordilheira Andina chega ao deserto formando a Cordilheira de Sal e é nesse ponto que está o Valle de la Luna – onde dizem que é similar ao solo lunar. E não importa a forma que você for conhecer esse local – seja andando, a cavalo, em bicicleta, a impressão de estar em um lugar único na terra é maravilhosa.

E outro Valle não tão menos importante que o de la Luna é o e de la Muerte, não se sabe ao certo porque leva esse nome, apenas desfrute de sua beleza natural.

A tarde vai chegando ao fim e é no Valle de la Luna que as pessoas se despedem do sol e dão as boas vindas a lua. E nessa despedida que as cordilheiras se tornam um arco irís porém mostrando uma cor de cada vez começando pelo alaranjado, depois ficando avermelhado, que por sua vez dá lugar ao rosado, passando pelo alilasado e por último um arroxeado dando tchau ao dia e oi a noite, cedendo a cor somente ao brilho da lua e das estrelas.

E a noite não tenho palavras para descrever o quão lindo é o céu do deserto mais árido do mundo. Pela ausência da poluição e de luzes as estrelas fazem o show durante a noite, e acabamos nos esquecendo de um frio de 0º para admirar esses atros que só quem está no deserto tem o privilégio de ver!

As festas durante a noite são proibidas! Mas isso não significa que não existem festas noturnas… são as famosas festas “clandestinas” que são feitas no meio do deserto longe do centro e dos “Carabineros” – policia chilena.  

E quem disse que não tem lagoa no deserto? No Atacama tem e não é uma ou duas…são várias como Cejar, Los Ojos, Tebenchique, Chaxa, Miscanti e Miñiques, graças ao desgelo das montanhas, as lagosa são formadas a seus pés.

E quem pensou que só pode boiar no Mar Morto em Israel, precisa então conhecer a Laguna Cejar que com sua grande concentração de salinidade, não deixa as pessoas afundarem.

O colorido do deserto não fica somente em suas cordilheiras, o céu também é pintado de cor de rosa, quando todos os flamingos resolvem voar ao mesmo tempo dentro do Parque Nacional dos Flamingos e vão se alimentar no Salar de Atacama.

E entre tantos vulcões termas não deverá faltar, certo? Pois há a Termas de Puritama onde é possível se banhar em águas que vem do vulcão de até 33º C, bom para relaxar e para curar doenças como reumatismo.

É tanta diversidade nesse deserto, que depois de ter assistido o por do sol no Valle de la Luna  quem tiver afim de ver o nascer do sol no maior campo geotermico do Hemisfério Sul, é só se aventurar uma visita nos Geysers del Tatio com seus 80 geysers, e para os mais corajosos, tomar um banho em uma das piscinas naturais, com águas quentes, porém com a temperatura congelante.

O espetáculo nesse local começa enquanto o sol dá as boas vindas ao novo dia que nasce. São dezenas de jatos de águas que chegam até 86ºC de temperatura, e forma uma cortina de fumaça misturada com os primeiros raios solares.

Enquanto os turistas procuram o melhor ângulo para suas fotos, os guias se encarregam de preprar um café da manhã especial, pois além de ser servido ao ar livre, ele é preparado com a água fervente dos geyseres. Não é todo dia que se toma uma café preparado em uma água tão peculiar…

E assim é o destino que para mim foi o mais mágico de todos: Deserto do Atacama – viver para saber.

É necessário visto para entrar no Chile?

Não. Poderá entrar apenas com o RG, contanto que esteja em bons estados e com menos de 10 anos de emissão, ou com o passaporte com validade mínima de 6 meses.

Entrada na Ilha de Páscoa:

Para visitar a Ilha de Páscoa é necessário pagar uma taxa ambiental de USD 65,00 por pessoa. Essa taxa é paga no aeroporto no momento da chegada.
Crianças até 8 anos estão isentas dessa taxa.

É necessário vacina para entrar no Chile?

Não.

Qual o fuso horário do Chile?

O Chile está 3 horas a menos em relação a UTC, portanto o mesmo horário que no Brasil – (horário de Brasília).

É recomendado usar seguro saúde?

Não só como no Chile, mas em qualquer outro pais, o seguro saúde é bem recomendado, e alguns tem seguro até contra extravio de malas. Vale a pena contratar.

Qual o idioma falado pelos chilenos?

No Chile o idioma oficial é o espanhol, mas em todos os lugares turísticos as pessoas falam inglês e na grande maioria falam portunhol. Muitos pacotes turísticos oferecidos são com guia de idioma espanhol e português.

Quanto dinheiro levar?

Chile é um pais caro, dessa forma para passar dias agradáveis sem aperto, recomenda-se levar em torno de USD 100,00  a USD 150,00 por dia. Planejar os passeios que vão fazer antes de ir é uma forma de gastar menos.

Tempo de viagem entre as principais cidades:

Em ônibus:
SantiagoViña del Mar1h50
SantiagoValparaíso1h40
SantiagoLa Serena5h20
SantiagoIsla Negra1h40
SantiagoSanta Cruz2h
SantiagoSan Pedro de Atacama18h
SantiagoPucón8h10
SantiagoPuerto Varas10h10
SantiagoTemuco6h55
SantiagoConcepción5h
SantiagoPuerto Montt10h25
SantiagoMendoza5h15
SantiagoSan José del Maipo35min
SantiagoMaipu35min
SantiagoValle Nevado1h30
TemucoPucón1h30
Puerto MonttPuerto Varas25min
PucónPuerto Montt3h55
PucónPuerto Varas3h40
TemucoPuerto Varas3h35
TemucoPuerto Montt3h50
Puerto MonttBariloche4h30
Puerto VarasBariloche4h15
TemucoBariloche6h
PucónBariloche5h
Santa CruzTemuco6h
Santa CruzPucón7h10
Santa CruzPuerto Montt9h30
Santa CruzPuerto Varas9h15
Pucón Huilo Huilo2h
TemucoHuilo Huilo2h40
Puerto MonttHuilo Huilo3h40
Puerto VarasHuilo Huilo3h25
BarilocheHuilo Huilo5h50
Em avião:
SantiagoIlha de Páscoa4h20
SantiagoCalama1h50
SantiagoPuerto Montt1h50
SantiagoPuerto Natales4h20
SantiagoMendoza40min
SantiagoLa Paz2h40
SantiagoBuenos Aires1h45
SantiagoLa Serena1h
SantiagoTemuco1h15
SantiagoConcepción1h

Onde comprar?

Em Santiago o shopping mais famoso para brasileiros é o Parque Arauco – que é o maior shopping da cidade com lojas de grandes marcas. Perto da Plaza de Armas há uma rua com muitas opções de lojas: Paseo Ahumada.

Para compras de artesanato há dois lugares que  pode se esbanjar a vontade – e ainda pechinchar com alguns comerciantes que estiverem de bom humor: Pueblito Los Dominicos e Centro Artesanal Santa Lucia.

Já em Viña del Mar o bairro do  La Reñaca está o Shopping Plaza Reñaca –com 70 lojas de grifes.

Na Ilha de Páscoa embora pequena possui pontos estratégicos para compras: Mercado Artesanal, Feira Artesanal e Avenida Atamu Tekena (a principal avenida) onde há lojas de souvenirs.

No deserto também tem seus pontos: a Calle Caracol – a principal avenida, e a Feira Artesanal.

Pucón, a cidade pequena e charmosa também oferece opções de compras no centro da cidade com suas lojas de artesanato, sobretudo dos artefatos dos índios mapuches.

Em Puerto Varas durante os fins de semana na praça central tem uma feira de artesanato. No centro – Rua Del Salvador também há diversas lojas.

A vizinha Puerto Montt um lugar recomendado é o Mercado Algemó e o shopping Paseo Costanera, e um shopping um pouco menor do que o primeiro é o Paseo del Mar.

Observações:

No deserto de Atacama não tem nada, absolutamente nada, portanto enquanto estiver fazendo os passeios e admirando maravilhosas paisagens, e sentir aquela necessidade de usar o banheiro, deverá fazer como os nossos irmão primatas faziam, usar o banheiro natural, o máximo que poderá usar, é a parte de trás do carro, ou atrás de alguma rocha e avisar aos demais que “está usando o banheiro”.

Avatar

Katia

Kátia Ribeiro - Luxury Concierge, assessora em viagens exclusivas pelo mundo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *