Guia de viagem – Argentina

Plaza de Mayo – Buenos Aires

Planeje sua viagem a Argentina!

Todas as informações necessárias e sugestões de roteiros para você escrever no seu diário uma magnífica viagem.

Argentina

Como ir?

Algumas opções de cias aéreas nacionais, da América do Sul e do Oriente voam para Buenos Aires, e para as outras cidades poderá fazer conexões com outras cias aéreas locais. São três aeroportos em Buenos Aires – Ezeiza que está aproximadamente a 35 Km do centro de Buenos Aires, o aeroporto Aeroparque está localizado no bairro de Palermo aproximadamente a 6 Km do centro de Buenos Aires, e um novo aeroporto que foi inaugurado em 2018 – El Palomar que está a 26 Km do centro, é um aeroporto pequeno dedicado a cias aéreas low cost. Portanto os traslados e táxis são mais caros para quem desembarca em Ezeiza. Pode-se ir com as seguintes:

Aerolineas Argentina
BOA (voos com saídas somente de São Paulo) 
Emirates (voos com saídas somente do Rio de Janeiro)
Latam
GOL
Turkish
Qatar (voos com saídas somente de São Paulo)

Devido a posição geográfica da Argentina, e dependendo da cidade que deseja visitar, é possível ir por terra para outros países como Chile e Bolívia. Uruguai é possível ir em Buque Bus.

Quando ir?

Todo o ano é possível visitar a Argentina, e dependendo da época que se visita, as atividades e as paisagens mudam.

Na atual capital  – Buenos Aires e na antiga capital – Córdoba o turismo é possível em qualquer época do ano.

Bariloche – a porta de entrada da Patagônia é famosa pelos seus invernos com muita neve, porém há muitas atividades e uma paisagem completamente diferente no verão.

Em Mendoza também acontece o mesmo, a paisagem muda de uma estação para outra, mas é possível o turismo durante todo o ano, no inverno é possível fazer uma extensão até Las Leñas para quem gosta de praticar o esqui.

Em Salta e Jujuy – entre dezembro e fevereiro é o período de chuvas, porém é uma época com temperaturas mais elevadas. Durante os meses de março a junho e setembro a novembro  as temperaturas são mais agradáveis. Entre junho e agosto as temperaturas são baixas e o tempo é seco.

Nas fronteiras com Brasil (Iguazu) as chuvas são frequentes durante todo o ano. Entre setembro e março as temperaturas são elevadas e entre junho e agosto a temperatura é agradável.

Na Patagônia na região norte o clima é mais suave e seco. No verão – entre dezembro e março –  é a melhor época para visitar a região quando as temperaturas estão mais altas. Entre setembro e dezembro as temperaturas caem, as noites são mais frias e há muito vento. E no inverno há neve em Ushuaia, ideal para quem quer esquiar.

Perito Moreno

Quantos dias ficar?


A Argentina é um pais bem diversificado, e por está relativamente próximo ao Brasil, é possível visitar desde um fim de semana até 15 dias ou mais dependendo do roteiro.

A cidade porteña de Buenos Aires pede-se 3 noites para ser o suficiente para conhecer os principais atrativos, e viver a cultura argentina.

A região da Patagônia se estende desde Bariloche até Ushuaia, e cada cidade traz atividades diferentes para seus visitantes.

Em Bariloche na época da temporada de neve, alguns hotéis exigem um mínimo de 7 noites de hospedagem, já em outra época, como verão, não tem mínimo de noites, mas para aproveitar bem as belezas dessa cidade, 4 noites é o mínimo. Além da possibilidade de fazer o cruze andino, e visitar a parte chilena, podendo estender por mais 3 noites para conhecer toda a região.

Em El Calafate, que faz fronteira com o chile também, para conhecer os principais atrativos dessa cidade de 3 a 4 noites são suficientes para fazer os principais passeios, além de ir a El Chaltén por um dia e ainda possibilidade de cruzar a fronteira com o Chile, e conhecer a 8ª maravilha do mundo – Torres del Paine, mas para esse roteiro, acrescente no mínimo mais 3 noites.

Em Ushuaia além de fazer roteiros terrestre, é possível chegar por cruzeiro:
–  cruzeiros fluviais, que saem do Chile;
–  cruzeiros que podem chegar até a Antártida.
Para conhecer apenas a cidade de Ushuaia, de 3 a 4 noites é o suficiente, mas na temporada de inverno, também é possível esquiar nessa cidade, se o motivo da viagem for esse, recomenda-se 7 noites para poder fazer todas as atividades.

Em Puerto Madryn também o suficiente é entre 3 a 4 noites para explorar as regiões como Punta Tombo, Península Valdés e Rio Chubut .

Mendoza, que podemos dizer que está localizada entre as duas capitais: argentina e chilena.
Nessa cidade charmosa é possível ficar desde 3 noites para conhecer o básico dos principais passeios, e ficar até 7 noites para poder fazer todos as atividades que o destino oferece. E além disso na temporada de inverno, é possível conhecer Las Leñas, assim como outros centros invernais, e em alguns hotéis o mínimo para essas temporadas são de 7 noites, se for combinar com Mendoza, reserve um mínimo de 10 noites.

Em Córdoba para conhecer os pontos turísticos e sentir a cidade de 3 a 4 noites são suficientes. 

Em Salta é um destino que pede mais atenção e tempo para conhecer, eu diria um mínimo de 7 noites é o tempo ideal para desfrutar dessa cidade, conhecer as cidades próximas como Jujuy, Quebrada de Humahuaca,  Catamara, San Juan, Pummarca, Susques, Tilcara, Cachi, Tolar Grande, Iruya e Cafayate, mas para quem não tem tanto tempo disponível 3 noites é possível conhecer os principais atrativos.

Em Iguazu é um destino para mesclar com Foz do Iguaçu e Ciudad del Este, e para ver todos os atrativos dessa tríplice fronteira o ideal é o mínimo de 6 noites, assim conhecerá a fronteira do lado brasileiro e do lado argentino.  

Qual a voltagem e o tipo de tomada na Argentina?

A voltagem é de 220 e a tomada é do tipo europeu – dois furinhos redondos (figura C), algumas são de modelo com dois tracinhos na diagonal (de dentro para fora) e um tracinho abaixo e na vertical dos dois da diagonal (figura I) .

Qual a moeda?

Na Argentina a moeda é o Peso Argentino, mas poderá chegar no país com Reais ou Dólares e trocar nas casas de câmbios, os cartões de todas as bandeiras são aceitos em hotéis e restaurantes, alguns estabelecimentos aceitam Reais, mas se tiver troco, esse será em Pesos Argentinos.

Que roupa usar?

Isso vai depender da época e da região que visitar. Roupa e sapato confortável sempre, pois nos passeios geralmente caminha-se muito.

Na região da Patagônia, mesmo no verão é necessário levar uma roupa mais quente, não esquecer de luvas, tocas, cachecóis e meias grossas.

Na região de Mendoza as estações são bem definidas, portanto se a viagem for no verão, leve roupas leves, se a viagem for no inverno, leve roupas quentes, casacos, tocas e luvas.

Na região do Norte é uma região desértica, dessa forma mesmo no verão se os dias forem quentes, a noite a temperatura cai, sendo necessário levar roupas pesadas.

Não esqueça sempre do protetor solar, óculos escuros, manteiga de cacau (esse último item principalmente para a região da Patagônia e de Salta).  

Monumento ao Trópico de Capricórnio – Jujuy

Clima na Argentina

Em geral na Argentina o inverno é frio e chuvoso, e os dias são curtos, já o verão é quente e úmido e os dias são mais longos.

Em Buenos Aires o clima é agradável no verão e muito frio no inverno, a média de temperatura é de 18ª graus, as chuvas são mais frequentes no inverno.

O Norte tem um clima quente e úmido com chuvas todo o ano. A melhor época para visitar são os meses de inverno que a temperatura é mais seca e mais quente.

Na região central o clima é quente e úmido no verão e frio ameno no inverno. Na região dos Pampas os invernos são suaves e os verões são quentes

Na Patagônia o clima muda de repente, é seco e as temperaturas são mais moderadas no norte com alguns dias de vento, no verão as temperaturas podem chegar até 30ºC. No sul da Patagônia o clima é influenciado pela Antártica sendo sub-ártico que tem como característica ventos fortes e chuvas.

Em Ushuaia no verão as temperaturas giram em torno de 9ºC e são 18 horas de luz solar, geralmente entre Agosto e Janeiro há muitos ventos. No inverno a temperatura poderá cair até 1ºC e são entre 7 e 8 horas de luz solar.

Alta Montanha – Mendoza

Onde ficar na Argentina?       

Buenos Aires:  A capital do pais, os melhores bairros para se hospedar são: Recoleta, Puerto Madero, La Boca, San Telmo, Centro e Palermo, esse último um pouco afastado do centro.

Bariloche: A capital do ski oferece dois principais lugares para se hospedar: Av. Bustillo – para aqueles que procuram um pouco de tranquilidade, essa avenida fica as margens do Lago Nahuel Huapi, ou no centro onde estão os restaurantes, bares e a agitação da cidade.

Mendoza: A capital do vinho, é uma cidade pequena, e tem duas opções de lugares de se hospedar, dependendo da motivação do viajante: o centro – próximo a Plaza de la Independencia, onde está o comércio, restaurantes, e vida noturna, ou em uma das bodegas que oferecem hospedagem próximo a Cordilheira dos Andes, e com vista a vinhedos.

Córdoba:  A antiga capital argentina oferece as seguintes opções: próximo a Plaza San Martin – que está próximo de muitos pontos turísticos, ou no bairro Nova Córdoba onde está algumas das universidades, portanto tem uma boa vida noturna, o bairro La Cañada também oferece uma boa hospedagem devido ao comércio próximo, com restaurantes e bares.

Ushuaia: A capital da Provincia Tierra del Fuego é bem estruturada para o turismo, são duas opções: ficar no centro, próximo ao porto, da Av San Martín (a avenida principal) e ao comércio, restaurantes e vida noturna, ou ficar afastado de toda essa agitação, porém essa cidade tem muitos morros, e alguns hotéis afastados estão localizados nesses morros, a vista é magnífica, porém a locomoção para chegar ao centro ou pontos turísticos vai depender de táxis, transportes oferecidos as agências ou carros alugados.

El Calafate:  A capital das geleiras, assim como Ushuaia são dois lugares para se hospedar: no centro, próximo a Av Libertador San Martín (a avenida principal), onde estão comércio, restaurantes e bares, ou afastado de tudo, que tem seus prós e contras, para quem deseja tranquilidade é uma boa pedida, mas deverá pensar na maneira que será a locomoção, que dependerá de táxi ou carro alugado.

Salta: A capital da província do norte, Salta – “la linda”, é uma pequena cidade no tamanho, mas não na beleza, dessa forma a melhor opção é o centro, onde estão os restaurantes, bares, comércio, e próximo do centro estão os principais pontos turísticos.

Península Valdés: Para chegar em avião a Puerto Madryn, deverá desembarcar em Trelew que está a 50 minutos de distância.
As opções são: Puerto Madryn e Trelew.
Puerto Madryn  fica próximo ao passeio de mergulho com leões marinhos, com boas opções de hospedagens e restaurantes.
– Já em Trelew está mais próximo a Punta Tombo – uma reserva de fauna com uma colonia de pinguins  de magalhães, porém a estrutura hoteleira não é tão diversificada como em Puerto Madryn.
Importante saber os passeios que deseja fazer para decidir onde ficará hospedado, tento em quanta que a distância de um ponto turístico a outro é muito grande. Ou uma alternativa é dividir a hospedagem nas duas cidades para fazer todos os passeios com mais tempo para aproveitar o destino.

Iguazu: É uma cidade pequena, e os principais hotéis estão:
– dentro do Parque Nacional – Gran Melia Iguazu
– fora do Parque Nacional, porém próximo – Loi Suites
– os demais estão localizados no centro.

Jujuy:  É uma cidade pequena também, então o centro é o melhor local para se hospedar.

Salta:  Assim como Jujuy o melhor lugar é no centro.

Cafayate: Em geral as pessoas não se hospedagem nessa cidade, e sim fazem passeio de um dia, porém o lugar recomendado é o centro.

Caminho a El Chaltén

O que visitar na Argentina?

Iguazu: Navegação pelos saltos do Rio Iguazu, visitar a Garganta do Diabo – coração das Cataratas do Iguaçu, safáris e avistamentos no Parque Nacional do Iguaçu, fazer uma caminhada guiada à luz da lua cheia, passear pelo centro histórico e visitar aos Orquidários. Visitar as ruínas dos Jesuítas.

Jujuy: Trekking na Quebrada de Humahuaca, visitar Pucará de Tilcara e Purmamarca, city tour por San Salvador de Jujuy e excursão às Salinas Grandes.    

Tucumán: Conhecer a Cidade Sagrada e Quilmes, visitar a Feira de Simoca, passear a cavalo por Tafi del Valle, tomar café da manhã no Jockey Club Tucumán e participar da Festa Nacional de la Pachamama (período do carnaval).

Salta: Realizar uma viagem ao colorido Tren de las Nubens, excursão a Tolar Grande, conhecer o exclusivo Salta Polo Club e visitar a catedral Basílica de Salta, degustar os famosos vinhos de Cafayate.

Mendoza: Visita às fazendas mais exclusivas, caminhos do vinho, um passeio espetacular por plantações e vinícolas – durante a Semana Santa há apresentações de músicas clássicas e durante a vendimia há festas,  em Setembro há festivais de tango pelos caminhos do vinho e subida ao Monte Aconcágua (o ponto mais alto das Américas), ainda é possível fazer um passeio pelas cordilheiras até a fronteira com Chile. Para quem quer mais aventura, a pedida é fazer rafting pelos rios que nascem nas cordilheiras.

San Martin de los Andes: Praticar trekking de subida ao Vulcão Lanin, desafio 4×4 pelo caminho dos 7 Lagos, Ski no Cerro Chapelco e Tetralón Chapelco – a corrida de aventura que combina 4 disciplinas.

Villa la Angostura: Ski no Cerro Bayo, pesca esportiva de trutas e salmão em um contexto insuperável, tour gourmet para degustar das principais especialidades patagônicas e navegar em veleiro nas encostas da vila.

Bariloche: Ski com vista inigualável no Cerro Catedral, navegação do Lago Nahuel Huapi e trekking no Bosque de Arrayanes e na Isla Victoria, excursão a Puerto Blest, golf em uma paisagem de natureza inigualável e Sete Lagos Aventura.

Esquel: Centro de ski La Hoya, Parque Nacional Los Alerces, La Trochita, os Tunéis de Gelo e trekking no Glacial Torrecillas.

El Chaltén: Trekking sobre o Glacial Grande / Viedma, navegação até o Glacial Viedma, navegação no Lago del Desierto e trekking a Laguna de los Tres, Cerro Fitz Roy.

El Calafate: Experiência 4×4 off-road chegando a paisagens impactantes e lugares totalmente exclusivos, pesca das mais cobiçadas espécies de peixes, visitar as fazendas patagônicas e excursão à Cueva de las Manos, visitar ao imponente Geleira Perito Moreno – onde é possível:
– fazer mini trekking sobre a geleira;
– big ice – outro trekking pela geleira porém mais intensa a caminhada;
– contemplar a geleira desde passarelas construídas para ter uma visão de vários ângulos;
– fazer um passeio de catamarã e se aproximar da geleira:
     –  existem dois passeios, um para se aproximar da parte sul da geleira, outro para se aproximar da parte norte da geleira.

Ushuaia: Percorrer o caminho que faziam os presos no histórico Trem do Fim do Mundo, visitar o Bosque Yatana – (um bosque nativo dentro da cidade), sobrevoar em helicóptero a cidade e conhecer a cordilheira dos Andes a partir do céu, navegar em um catamarã, veleiro ou kayak no mítico Canal de Beagle, observar o Farol Eclaireurs, trekking à Laguna Esmeralda e excursão 4×4 Lagos Off Road.
Conheça mais a história visitando os museus (Museu marítimo de Ushuaia, Museu do Fim do Mundo e Antiga Legislatura, Museu de Maquetas do Mundo Yámana, Museu da Cidade, Museu Acatushún e Museu Monseñor Fagnano), e aproveite para carimbar seu passaporte para registrar a ida ao “Fim do Mundo”.
Durante o inverno há possibilidades de fazer as seguintes atividades:
– patinar sobre o gelo
– caminhar com raquetes
– passear com motos de neve ou trenós puxados por cães huskies
– escalar as cascatas congeladas
– esquiar de descida e snowboard no Cerro Castor.
A cidade ainda apresenta festivais e eventos durante o ano:
Nos outonos acontece o Festival de Música Clássica do Fim do Mundo, nos invernos acontece o Festival da Noite Mais Longa, nas últimas semanas de agosto a vez é do cinema no Festival Internacional de Cinema de Montanha, a cada dois anos acontece a Bienal do Fim do Mundo que une em tempo real com performance multimídia Ushuaia com cidades ao norte do Canadá e da Finlândia.

Puerto Madryn: Visitar a Península Valdés, Puerto Piramides, Playa Unión,  Museu Paleontológico Egidio Feruglio, Museu Pueblo de Luis, Planetário de Trelew, Museu de Artes Visuais,  participar de um mergulho ou snorkeling com lobos marinhos, avistamento na Isla de los Pájaros, Punta Tombo, Punta Delgada e Caleta Valdés e navegar ao lado de Orcas e vivenciar seu mais intimo momento de caça, mas atenção pois há épocas certas para ver cada tipo de animal, o ideal é que consulte o calendário da fauna, que poderá ser no site: http://madryn.travel/calendario-de-fauna/ .

Córdoba: Passeio pelas Estâncias dos Jesuítas, golf nas calorosas serras, Parque Sarmiento, visita à Reserva Natural Cultural Cerro Colorado para conhecer a riqueza de suas pinturas rupestres e visita ao Parque Nacional Quebrada de Condorito, Museu de Arte Religiosa Juan de Tejeda, Museu Histórico Provincial Marques de Sobremonte.

Buenos Aires: Existem lugares onde poderá dançar o tango, conhecido como milongas, o design da cidade tem uma relação intensa com forte presença nos bairros de Palermo, Recoleta – que poderá visitar o cemitério onde está Evita Perón e a feira de antiguidade de San Telmo que acontece todos os domingos, passeio ao Delta e Tigre, visitar ao Zoológico Lujan e Temaiken, visitar ao estádio Boca Juniors – La Bomboneira e passear pelo Caminito. E desde a capital argentina poderá conhecer a capital uruguaia pelo Buque Bus, para que admira o churrasco argentino fazer uma visita de um dia inteiro em uma fazenda com seus receptivos gaúchos é a melhor forma de provar sua carne.

Skis: Cerro Chapelco, Cerro Catedral, Cerro Bayo, La Hoya, Las Leñas, Cerro Castor, Penitentes.

Cruce Andino: Compre uma viagem e conheça dois países. No cruze andino é assim, você pode escolher começar pela Argentina e terminar pelo Chile, ou vice-versa.

Esse cruze pode-se fazer por todo o ano:
No período do verão como os dias são mais longos é possível fazer os dois tipos de cruze:
  – rápido: que você não dorme em Peulla;
  – normal: que tem uma noite em Peulla;
No inverno, como os dias são mais curtos é possível fazer o cruze normal, ou seja, com uma noite em Peulla.

Durante o cruze o percurso é feito em ônibus e catamarã. Abaixo está um mapa detalhado do trajeto, onde é feito em catamarã e onde é feito em ônibus.

Mapa do cruce andino – Região dos Lagos Argentina e Chile:

É necessário visto para entrar na Argentina?

Não, brasileiros podem entrar na Argentina sem visto, apenas com o passaporte com validade mínima de 6 meses ou a cédula de identidade (RG) em bom estado, com a foto reconhecível, e emitido há menos de 10 anos.

É necessário vacina para entrar na Argentina?

Não é obrigatória, porém é recomendada a vacina contra febre amarela, ela deverá ser tomada no mínimo 10 dias antes do embarque, e tem validade vitalícia.

Qual o fuso horário da Argentina?


 A Argentina está 3 horas a menos que a UTC, portanto o mesmo horário que o Brasil (horário de Brasilia), e eles adotam o horário de verão, assim como algumas cidades brasileiras faziam.

É recomendado usar seguro saúde?

Não só como a Argentina, mas em qualquer outro pais, o seguro saúde é bem recomendado, e algumas seguradoras tem seguro até contra extravio de malas. Vale a pena contratar.

Qual o idioma falado pelos argentinos?

O idioma oficial é o espanhol. Nos atrativos turísticos o português, “portunhol” e inglês também é usado.

Salar de Jujuy

Quanto dinheiro levar?

Viajar pela Argentina é para todos, poderá ser para uma pessoa econômica ou uma pessoa que não se preocupa com dinheiro.

Buenos Aires por ser uma cidade grande, dessa forma é possível fazer diversos passeios gastando pouco, ou fazer os mesmos passeios mas com total exclusividade. É possível comer bem pagando pouco, assim como também comer em sofisticados restaurantes.

A Patagônia (incluindo Bariloche e Puerto Iguazu) não são lugares barato, mas se for com os passeios comprados, consegue já reduzir um pouco o gasto, mas lembrando que para comer nessas cidades se gasta mais, e a oferta não é tão variada como Buenos Aires por exemplo .

Mendoza como Buenos Aires têm ofertas para todos os bolsos, é possível gastar pouco, mas também pode-se comer bem e com sofisticação.

Em Mar del Plata também se iguala a Buenos Aires, porém no período de Janeiro e Fevereiro – alta temporada os preços podem ficar mais altos.

Dessa forma isso vai depender de qual parte da Argentina irá conhecer, e quais passeios irá fazer, geralmente os passeios comprados no próprio destino são mais baratos, mas a vantagem de comprar aqui no Brasil, é que poderá em algumas agências parcelar. USD 100,00 por dia é mais que o suficiente para passar bem em qualquer cidade, mas para os mais econômicos entre USD 20,00 e USD 50,00 por dia dependendo da cidade, não poderá talvez fazer ou comprar tudo que deseja, mas poderá ser o suficiente para conhecer a cidade. 

Tempo de viagem desde Buenos Aires as principais cidades:

Em ônibus
Buenos AiresMar de la Plata5h
Em avião
Buenos AiresEl Calafate2h50
Buenos AiresUshuaia3h15
Buenos AiresPuerto Madryn1h40
Buenos AiresMendoza1h50
Buenos AiresSalta1h55
Buenos AiresIguazu1h40
Buenos AiresBariloche2h
Buenos AiresCórdoba1h20
Em Buquebus
Buenos AiresMontevidéu2h15
Buenos AiresColônia del Sacramento1h

Horários de saídas do Buque Bus*:

* Podendo haver alterações

Desde Buenos Aires para Montevidéu:

7:30 e 16:00

Desde Buenos Aires para Colônia del Sacramento:

8:30, 12:15 e 20:00

Desde Montevidéu:

11:00 e 19:30

Desde Colônia del Sacramento:

10:15, 16:15 e 20:00

Onde comprar?

Buenos Aires além de ser famosa pela diversidade cultural, e claro pelo tango, a fama se deve também as compras que se podem ser feitas, entre eles podemos citar:
– Calle Florida – com sua diversidade de lojas;
– Av Córdoba que é conhecida pela avenida dos outlets;
– Outlets da Villa Crespo;
– Calle Murilo;
– Avenida Forest;
–  Plaza Once;
–  Avenida Avallaneda;
–  Barracas Outlets – (Central Park);
–  Plaza Serrano;
–  Galerias Pacífico;
–  Alto Palermo Shopping;
–  Avenida Santa Fé;
–  Feira de San Telmo;
–  Patio Bullrich;
Shopping Abasto.

Na fronteira com Brasil em Puerto Iguazu há um Dutty Free como um shopping e é possível encontrar de tudo: artigos eletrônicos, acessórios, artigos para o lar, bolsas e malas, bebidas, brinquedos, cosméticos, jóias, tabacaria, etc. E o mais interessante é que alguns hotéis tanto em Puerto Iguazu, como em Foz do Iguaçu oferecem traslados para o Dutty Free.

Esquina Carlos Gardel

Casas de Tango em Buenos Aires:

A capital do tango oferece vários shows, que podem ser visto depois de um jantar típico argentino com a carne como prato principal, ou apenas ver o show desfrutando de um saboroso vinho. Algumas ainda oferecem aulas de tango antes da apresentação.

Abaixo estão algumas das principais casas de tango:

Esquina Carlos Gardel
Tango Porteño
Señor Tango
El Viejo Almacén
Piazzola Tangopossibilidade de fazer aulas de tango
La Ventana
Madero Tango
El Querandí
Sabor a Tangopossibilidade de fazer aulas de tango
Café de los Angelitos
Complejo Tangopossibilidade de fazer aulas de tango
Rojo Tango
Cia Tango e Paixão
Homero Manzi
We are Tango
Gala Tangopossibilidade de fazer aulas de tango
Farol do Fim do Mundo

SUGESTÕES DE ROTEIROS:

Escapada a Buenos Aires:

  • Para aqueles que têm interesse em visitar a vizinha Argentina, porém não tem muito tempo sugerimos o seguinte roteiro:
  • 02 noites em Buenos Aires:

1) Buenos Aires

Traslado ao hotel e hospedagem. Tempo livre para conhecer por conta a Paris da América do Sul, se perder entre o comércio da 09 de Julho e a rua Florida.

2) Buenos Aires

Pela manhã city tour pela cidade, visitando a Casa Rosada, La Bombonera,  Caminito e Puerto Madeiro. Tarde livre para compras, ou conhecer o bairro de Recoleta, aproveitando de visitar o cemitério e ver onde estão enterrados vários personagens da história entre eles Evita Perón. Pela noite um show de tango com jantar. Hospedagem.

3) Buenos Aires

Traslado ao aeroporto.

  • Para os que têm um pouco mais de tempo, poderão fazer o passeio do cruzeiro pelo Delta del Tigre e desfrutar da noite em Puerto Madeiro. Caso a estadia seja durante um domingo, a Feira de San Telmo é uma visita obrigatória, pois é uma grande feira de antiguidade e artesanatos típicos que vale a pena conhecer.
  • Para mais  dias de férias, ainda poderá estender até o vizinho Uruguai, cruzando os países por buquebus para visitar a capital uruguaia e a viagem duraria aproximadamente 06 dias, dividindo da seguinte maneira:

02 noites em Buenos Aires
01 noite em Colonia del Sacramento
02 noites em Montevidéu

Patagônia Argentina:

  • Para essa região, o ideal seria no mínimo 07 noites, se for combinar com Buenos Aires:
  • 02 noites em Buenos Aires / 03 noites em El Calafate / 02 noites em Ushuaia

1) Buenos Aires

Traslado ao hotel e hospedagem. Tempo livre para conhecer por conta a Paris da América do Sul, se perder entre o comércio da 09 de Julho e a rua Florida.

2) Buenos Aires

Pela manhã city tour pela cidade, visitando a Casa Rosada, La Bombonera,  Caminito e Puerto Madeiro. Tarde livre para compras, ou conhecer o bairro de Recoleta, aproveitando de visitar o cemitério e ver onde estão enterrados vários personagens da história entre eles Evita Perón. Pela noite um show de tango com jantar. Hospedagem.

3) Buenos Aires / El Calafate

Traslado ao aeroporto. Voo a El Calafate. Traslado ao hotel e hospedagem. Tempo livre para conhecer por conta a capital das geleiras: El Calafate.

4) El Calafate

Dia inteiro para fazer o passeio na famosa geleira Perito Moreno, uma vez no parque poderá fazer o trekking sobre a geleira ou um passeio de barco. Retorno a El Calafate, aproveite para jantar um delicioso cordeiro patagônico. Hospedagem.

5) El Calafate / El Chaltén / El Calafate

Poderá visitar El Chaltén – conhecida como a capital do trekking é uma bela vila onde poderá fazer um passeio de barco para se aproximar das geleiras. Retorno a El Calafate. Hospedagem.

6) El Calafate / Ushuaia

Traslado ao aeroporto. Voo a Ushuaia. Chegada e traslado ao hotel. Hospedagem e tempo livre para conhecer a terra do fogo.

7) Ushuaia

Pela manhã, passeio no trem do fim do mundo e pela tarde, faça um passeio de barco no canal Beagle que separa Argentina do Chile. Aproveite para ir na secretária de turismo e pegar seu certificado do Fim do Mundo e carimbar seu passaporte! E claro, tirar a clássica foto na placa “Ushuaia  – Fim do Mundo”. Hospedagem.

8) Ushuaia

Traslado ao aeroporto.

  • Também poderá visitar a Puerto Madryn, que é uma das cidades turísticas da Patagônia Argentina perfeita para conhecer a fauna, o ideal é estar entre 03 e 04 noites. Abaixo o calendário da fauna para saber quais animais poderá ver em determinada época do ano:
Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez
Baleia XXXXXX
OrcaXX
Golfinho XXXXXXXXX
Lobo
Marinho
XXXXXXXX
Elefante
Marinho
XXXXXXXX
PinguimXXXXXXX
AvesXXXXXXX

Purmamarca

Norte da Argentina:

  • Essa é uma região que se pode combinar com o Chile e a Bolívia e fazer uma linda viagem pelos desertos da América do Sul. Mas começamos pela parte da Argentina, mínimo de 06 noites.
  • 02 noites em Salta / 04 noites em Tilcara

1) Salta

Traslado ao hotel e hospedagem. Tempo livre para conhecer por conta Salta – la linda, como é conhecida pelos argentinos.

2) Salta / Tilcara

Saída de Salta para viajar a Tilcara – uma vila que está entre Purmamarca e Humahuaca, ponto estratégico para visitar essa região.

3) Tilcara / Purmamarca / Salinas de Jujuy / Tilcara

Visita a Purmarmaca uma vila pitoresca com um morro de 07 cores! Desde Purmamarca existe a possibilidade de fazer um tour as Salinas de Jujuy – a 3º maior salina da América do Sul. Retorno a Tilcara. Hospedagem.

4) Tilcara / Humahuaca / Tilcara

Para se impressionar mais com as cores das montanhas, que tal visitar outro morro, mas agora com 14 cores? Em Humahuaca é possível! Além disso poderá visitar o monumento do Trópico de Capricórnio que está entre Tilcara e Humahuaca. Retorno a Tilcara. Hospedagem.

5) Tilcara

Dia dedicado para conhecer melhor a vila de Tilcara: Pucará de Tilcara – uma vila arqueológica, Jardim Botânico de Altura, Morro Paleta do Pintor e Cuevas del Wayra. Hospedagem.

6) Tilcara / Salta

Retorno a Salta e possibilidade de fazer o passeio do trem das nuvens. Hospedagem.

7) Salta

Traslado ao aeroporto.

  • Possibilidade de visitar na mesma viagem: San Pedro de Atacama – Chile e Salar de Uyuni – Bolívia, nesse caso o ideal seria alugar um carro para fazer toda a rota do deserto, e a viagem duraria aproximadamente 14 noites, dividindo da seguinte maneira:

02 noites em Salta
04 noites em Tilcara
01 noite em Salta
04 noites em San Pedro de Atacama
01 noite em Uyuni
01 noite em Salar de Uyuni
01 noite em Uyuni

Buenos Aires com Mendoza:

  • Essa é uma combinação perfeita para quem quer fazer uma escapada um pouco mais longa e aproveitar para saborear os vinhos argentinos.
  • 02 noites em Buenos Aires / 03 noites em Mendoza

1) Buenos Aires

Traslado ao hotel e hospedagem. Tempo livre para conhecer por conta a Paris da América do Sul, se perder entre o comércio da 09 de Julho e a rua Florida.

2) Buenos Aires

Pela manhã city tour pela cidade, visitando a Casa Rosada, La Bombonera,  Caminito e Puerto Madeiro. Tarde livre para compras, ou conhecer o bairro de Recoleta, aproveitando de visitar o cemitério e ver onde estão enterrados vários personagens da história entre eles Evita Perón. Pela noite um show de tango com jantar. Hospedagem.

3) Buenos Aires / Mendoza

Traslado ao aeroporto. Voo a Mendoza. Traslado ao hotel e hospedagem. Tempo livre para conhecer por conta a capital do vinho.

4) Mendoza

Possibilidade de conhecer os vinhedos e fazer visitas com degustações, além dos vinhos poderá ir as olivares provar os azeites e comprar produtos de beleza feitos com os melhores azeites. Hospedagem.

5) Mendoza

Para os que têm mais adrenalina, poderão fazer rafting em um dos rios de desgelo da cordilheira, ou fazer um tour da Alta Montanha, e chegar na fronteira com o Chile!

6) Mendoza

Traslado ao aeroporto.

  • Por estar na divisa dos países, para quem visita Mendoza e tem um tempo extra, poderá fazer uma escapada a capital chilena de 03 noites, pois Santiago está do outro lado da cordilheira, e é possível cruzar por terra – são 06 horas de viagem + o tempo da imigração.

Bariloche:

  • A famosa “Brasiloche” tem seus encantos tanto no inverno como no verão. Para os que apreciam o ski, uma semana é o recomendado para visitar essa cidade. Em caso de visitar em outra época do ano, 04 noites será o suficiente.
  • 04 noites em Bariloche

1) Bariloche

Traslado ao hotel e hospedagem. Tempo livre para conhecer por conta a cidade.

2) Bariloche

Pela manha poderá fazer o circuito chico para conhecer um pouco a cidade, tarde livre para desfrutar de uma boa comida argentina. Hospedagem.

3) Bariloche

Possibilidade de visitar a vizinha Vila Angostura ou San Martin de Los Andes. Hospedagem.

4) Bariloche

Um passeio pelo lago Nahuel Huapi para visitar o Bosque de Arrayanes é recomendado para ter outra perspectiva da cidade. Hospedagem.

5) Bariloche

Traslado ao aeroporto.

  • Desde Bariloche também poderá visitar o Chile, fazendo o famoso cruze andino, uma mistura de percurso: 03 de barco e 04 de ônibus com uma parada em Peulla para esse roteiro recomendam-se:
  • noites em Bariloche

01 noite em Peulla
03 noites em Puerto Varas
03 noites em Santiago

Avatar

Katia

Kátia Ribeiro - Luxury Concierge, assessora em viagens exclusivas pelo mundo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *