Guia de viagem – Equador

Planeje sua viagem ao Equador!

Todas as informações necessárias e sugestões de roteiros para você escrever no seu diário uma magnífica viagem.

Equador

Como ir?

São poucos cias aéreas que voam para o Equador e somente uma que faz voos diretos – Tame:

Tame
Latam

Quando ir?

O Equador é uma país privilegiado, pois enquanto os demais países do mundo estão localizados em apenas um Hemisfério, no Equador você pode mudar de Hemisfério em um simples passo.

Dessa forma isso irá variar de acordo com a região que queira visitar: Quito, a capital equatoriana, e Cuenca que são cidades localizadas nos Andes têm a melhor época para visitar entre Junho e Setembro, pois é o período com menas chuvas.

O litoral equatoriano a temperatura sempre é quente,  o período de seca é entre Junho e Setembro, dessa forma recomenda-se visitar nesse período.

A Amazônia o melhor período é entre Setembro e Dezembro pois é o período de seca dessa região.

Em Galápagos é possível visitar durante todo o ano, o que difere é a paisagem que encontrará em cada período do ano:
Entre Dezembro e Maio é o período de chuvas, mas as temperaturas são mais elevadas deixando as atividades aquáticas mais agradáveis, as plantas começam a florir e a vegetação fica mais verde, em contra partida, nesse mesmo período há poucos peixes.
Entre Junho e Novembro é o período de estiagem, há mais peixes e a vida marinha fica mais rica, porém junto com isso a água fica mais fria, fazendo com que as atividades aquáticas não fiquem tão agradáveis.

Quantos dias ficar?

Tudo vai depender de quantas cidades irá visitar.

A capital equatoriana de 3 a 4 noites são suficientes para conhecer a cidade e ao redor da cidade, fazer os principais passeios.

Ainda nos Andes, Cuenca a terceira maior cidade do Equador, para conhece-la 2 noites são suficientes.

Guayaquil – a cidade litorânea do Equador, 2 noites são o suficiente, para ter um dia inteiro para aproveitar a cidade.

Na Amazônia Equatoriana 2 ou 3 noites é recomendável para fazer os principais passeios.

Em Galápagos o mínimo de noites exigido são 4, mas dependerá muito do estilo da viagem para dizer o máximo de noites, já que o arquipélago possui 13 ilhas principais e 6 menores. Há opções de se hospedar em uma das ilhas, ou fazer cruzeiros. Existem cruzeiros de 3, 4 e 7 noites, onde é possível conhecer algumas ilhas, ou todas – dependendo da rota do cruzeiro.

Qual a voltagem e o tipo de tomada no Equador?

A voltagem é de 110 e a tomada são 2 tipos: dois tracinhos em pé (figura A) e três furinhos redondos – um central (figura D).

Qual a moeda?

No Equador a moeda é o Dólar Americano, os cartões de todas as bandeiras são aceitos em hotéis, restaurantes e lojas.  

Que roupa usar?

Em Quito e Cuenca por estarem em regiões alta é recomendável usar uma jaqueta leve ou casaco para as noites que são mais frescas. Roupa leve e sapatos confortáveis para os passeios.

Em Galápagos é recomendável usar roupas leves de algodão, sapatos confortáveis, um casaco ou jaqueta leve para as noites frias, roupa de banho, um chapéu ou boné e repelente de insetos. 

Na Amazônia as roupas para usar são leves ou de algodão, calças leves, camisa de mangas compridas para as caminhadas, sapatos confortáveis ou botas. Chapéu e repelente de inseto são indispensáveis. 

Guayaquil por ser uma região de praia poderá usar roupas leves e confortáveis, roupa de banho e um casaco fresco para usar pela noite.

Óculos de sol, protetor solar e uma capa de chuva são itens essenciais para qualquer região.

Clima no Equador

O Equador é dividido em quatro regiões: Amazônia, Andes, litoral e Galápagos:

Quito, Cuenca e outras cidades da serra têm clima ameno entre 10 a 23 graus. Entre Junho a Setembro é o período de seca, e entre Janeiro e Maio é o período chuvoso.

No litoral incluindo as Ilhas Galápagos o clima é quente e úmido com temperaturas média entre 28-30 graus. Entre Dezembro e Maio são épocas de chuvas na região do litoral, em Galápagos o período de chuva é entre Janeiro e Abril.

Na Amazônia o clima é quente e úmido também com temperaturas entre 26 graus. Chuvas podem ocorrer durante todo o ano principalmente entre Julho e Agosto que são meses mais chuvosos, mas entre Setembro e Dezembro é o período de estiagem.   

Onde ficar no Equador? 

Quito:  A capital equatoriana a zona norte é o local onde estão os hotéis boutique, empresas e shopping center, outro local recomendado é o centro histórico, um lugar único, porém com menas opção de restaurantes e comércio e mais tranquilo pela noite.

Cuenca: O centro histórico é o melhor lugar para se hospedar, e é também onde estão os hotéis boutique / colonial.

Guayaquil: Os melhores lugares são: no centro da cidade ou próximo ao aeroporto, onde há hotéis novos. O aeroporto está localizado próximo ao centro da cidade.

Amazônia: Para uma experiência única há duas opções boas para essa região: Em El Puyo em algum lodge de selva – essa cidade está localizada a quatro horas de viagem por terra desde Quito. Ou para quem for chegar via aérea, recomenda-se a cidade de Francisco de Orellana, onde estão os hotéis flutuantes.

Galápagos:  Há opções de fazer cruzeiros de 3,4 ou 7 noites, onde durante o dia realizam as visitas nas ilhas. Para quem for se hospedar em hotéis a segunda maior ilha e a que melhor tem infra-estrutura é a de Santa Cruz – Puerto Ayora, perto de Baltra – onde está localizado o aeroporto, outra opção seria a Ilha de San Cristobal – é a quinta maior ilha do arquipélago, e a segunda maior em infra-estrutura – onde há outro aeroporto.

A rede hoteleira de Galápagos é diferente da rede hoteleira do continente (as demais cidades do Equador), os hotéis são geralmente pequenos e não contam com grandes redes hoteleiras – pois existem várias restrições para implantações de novas infra-estrutura e pelo motivo do destino não permitir o turismo massivo.

Os hotéis não possuem elevadores, serviço de quarto e muitos poucos oferecem TV e telefone nos apartamentos.

O que visitar no Equador?

Quito: A capital equatoriana oferece diversas atividades para todos os gostos: um simples passeio pela cidade pelo Bairro colonial, admirar a cidade desde o Mirante do Panecillo, Praça da Independencia, Parque Itchimbia , Parque El Ejido e para quem é religioso poderá visitar: Basílica do Voto Nacional, Catedral de Quito, Igreja da Companhia de Jesus, Igreja de San Francisco.

História e Arte não faltarão: uma ida ao Museu Arqueológico, Casa da Cultura Equatoriana ou fazer a Excursão ao Monumento da Metade do Mundo com possíbilidade de visitar o Museu Etnográfico e o Museu Intiñan Solar – onde é possível fazer experiências, como equilibrar um ovo em um prego, ou ver o lado que gira a água no hemisfério norte e no hemisfério sul (leve seu passaporte para carimbar com o símbolo da Metade do Mundo).

E fazer um passeio as alturas é possível no teleférico que vai até o topo do Vulcão Pichincha, esse teleférico é um dos mais altos da América do Sul, depois que descer do teleférico é possível ao final de uma trilha visitar uma capela: Ermíta la Dolorosa.

Pela noite há possibilidade de fazer um passeio em carruagens ou assistir um Bale Folclórico Jacchingua enquanto desfruta um jantar, ou para os boemios o bairro Mariscal é onde estão concentrados os bares, restaurantes e casas noturnas.

Desde Quito é possível ir a Otavalo que está a 110Km ao norte da cidade. É uma cidade que ganhou fama devido ao mercado a céu aberto – o maior mercado indígena da América do Sul. Os índios que dão fama a esse mercado é da etnia Kichwa.

Ainda é possível visitar o vulcão Cotopaxi que está a 190Km ao sul de Quito. É um parque onde está o vulcão, um dos mais importantes do país.

Quito também é famosa por ter uma avenida cheia de vulcões, onde seu nome faz juz…”Avenida dos Vulcões”, e o vulcão mais famoso, onde se pode fazer uma visita é o Cotopaxi. É um dos vulcões mais alto do mundo.

Ainda na Avenida dos Vulcões, a Reserva Ecológica de Maquipucuna que está aos pés do vulcão Pichincha que está 40Km de Quito.

O Lago Quilotoa está a 160Km de Quito, esse lago foi formado através de uma cratera do vulcão que leva o mesmo nome – Quilotoa, a beleza é impressionante e ainda é possível fazer passeio de barco em uma lagoa próxima, trekking e escaladas.

E a 170Km de Quito poderá relaxar em termas de Baños que está aos pés do  Vulcões Tungurahua, Cotopaxi, Sangay e Chimborazo.

Cuenca: Também localizada nos Andes, a cidade oferece ao turista algumas atrações como: Ruínas de Ingapirca – que pode ser feito em trem, Gualaceo e Chordeleg, Caminho do Inca (Ingañán), Cachoeira de Giron e Yunguilla e Parque Nacional das Cajas.

Guayaquil: A cidade litorânea do Equador surpreende o turista com seu Malecón 2000 – calçadão, onde se pode visitar o monumento da Rotonda (Bolivar e San Martin), o bairro colonial Las Peñas – onde sua arquitetura é de madeira e algumas casas são como galerias de arte, o forte Santa Ana, o Parque Histórico, os Mercados Típicos (Mercado de Flores, Mercado de Frutos do Mar, Mercado de Víveres e o Mercado Artesanal e praias de salinas. 

Galápagos: Em Galápagos quando está hospedado em algum hotel em uma das ilhas, é possível fazer passeios de dia inteiro em outras ilhas: Ilha de Bartolomé, Ilha de Seymour, Ilha Plazas, Ilha Floreana, Ilha Isabela, ou um passeio de meio dia em Tortuga Bay e Tour de Baía.

Além da possibilidade de fazer tour de mergulhos em algumas ilhas: Ilha de Santa Fé, Ilha Floreana, Gordon Rocks, Ilha de Seymour – Norte, Cono Daphne.

Amazônia: Na floresta é possível fazer diversas atividades como: rafting, canopy, passeio de bicicleta, motocicleta, quadriciclo, buggies ou jeeps, visita a comunidades indígenas, caminhada pela floresta, navegações pelo rio.  

Avenida dos Vulcões

Recebe esse nome graças ao explorador alemão Alexander von Humbo ldt – que visitou a cidade em 1802 e passou por uma avenida enfileirada de vulcões. São cerca de 80 vulcões no total que estão lado a lado nessa avenida ao longo de 300 Km. Entre eles estão:

Cotopaxi: o cartão postal do Equador, é considerado um dos mais altos e perigosos do mundo. Tem uma altura de 5897 metros acima do nível do mar. Ainda está ativo.

Chimborazo: é considerado o mais alto nos Andes do Norte com uma altura de 6268 metros acima do nível do mar.

Carihauirazo:  está em frente ao Chimborazo é não apresenta timidez, pois tem uma altura de 5020 metros acima do nível do mar.

Pichincha: esse vulcão está a 4784 metros acima do nível do mar, para quem deseja se aproximar, porém não quer fazer muitos esforços, é possível chegar pelo teleférico de Quito. Esse vulcão tem vários picos de diferentes nomes.

Cayambe: é o único vulcão cortado pela linha do Equador com latitude 0ª tem uma altura de 5790 metros acima do nível do mar é o mais perigoso para fazer escaladas.

Imbabura: está próximo a Otavalo e tem uma altura de 4621 metros acima do nível do mar, já não é mais ativo, e pode ser visitado depois de uma caminhada de 7 horas – ida e volta.

Sangay: é considerado um dos mais ativos no Equador – seu nome no idioma quechua significa “aterrorizar” – fazendo juz ao nome, tem uma altura de 5300 metros acima do nível do mar, devido a sua grande fama, não tem nenhuma vila aos seus pés.

El Altar:  é um vulcão extinto, possui vários picos com formas de altar que dá nome ao vulcão, tem uma altura de 5319 metros acima do nível do mar.

Tungurahua: com uma altura de 5023 metros acima do nível do mar, ainda está ativo com fortes potências nos momentos de erupções.

Ilinizas: são gêmeos, duas montanhas, a sul tem uma altura de 5248 metros acima do nível do mar e a norte tem uma altura de 5126 metros acima do nível do mar.

Antisana: com sua altura de 5753 metros acima do nível do mar, é um dos mais vergonhosos, pois quase não mostra o topo nevado

Riobamba:

São vários nomes destinado a essa cidade: “Berço da Nacionalidade Equatoriana” / “Sultona dos Andes”   / “Coração da Pátria” / “Cidade Bonita” / “Cidade das Primicias” / ou simplesmente: Riobamba.

Está localizada no centro do país encravada nas Cordilheiras dos Andes à 3 horas desde Quito e foi a única cidade equatoriana planejada. O ponto mais alto dessa região é o vulcão Chimborazo.

A grande atração turística dessa cidade é o Nariz del Diablo – que pode ser visitado em um dia, saindo pela manhã.

As fazendas Andaluza e Abraspungo são boas opções para quem deseja visitar o Nariz del Diablo.

Nariz del Diablo:

Em 1895 técnicos americanos foram convidados para construir uma estrada de ferro na região de Alausi, onde está localizado o Nariz del Diablo.

Na época foi considerado a construção mais difícil do mundo. Em 1899 eles começaram a construção e alcançou a parte mais difícil da montanha – uma parede de rocha muito perpendicular, onde muitas vidas foram perdidas – e hoje é considerado uma obra de engenharia ferroviária, pois o trem faz zig zag dentro dessa rocha.

O trem chegou a primeira vez em Alausi em 1902 e em Riobamba em 1905. O ponto mais alto da construção é de 3604 metros de altura acima do nível do mar.

O trem semperteia a cordilheira e o nome dado ao local mais conhecido dessa rota “Nariz del Diablo” é devido a imaginação de quem observa de longe o Monte Pistishi na imensa forma de um nariz. E diz a lenda que foi feito um pacto com  o diabo para que a obra fosse concluída – depois da morte de 4000 jamaicanos que trabalhavam na construção.

 Cidade de Banhos:

Aos pés do vulcão Tungurahua que ainda continua ativo, está Banhos a 2 horas desde Quito. Possui como vizinhos outros vulcões: Carihuaurazo, El Altar e Chimborazo.

Devido ao cenário natural dessa cidade, ela é procurada pelas pessoas que desejam aventura como: rafting, bungee jumping, escalada entre outros. Além de aventuras, o destino é procurado pelas suas águas termais para tratamentos ou simplesmente relaxamentos.

Além dessas atividades e das águas termais, há outro atrativo bem peculiar nessa pequena cidade: Uma casa na árvore.

É uma casa de madeira em cima de uma árvore com um balanço bem alto que está próximo a uma ribanceira e leva o nome de “balanço do fim do mundo”.

Essa casa foi construida em 1999 depois da erupção do vulcão Tunguranhua e acabou se tornando uma estação de monitoramento sísmico para vulcanólogos.

É possível fazer a visita, se balançar e contemplar a vista panorâmica da Vila de Pondoa.

Mindo:

Um bosque subtropical com muita biodiversidade que está localizada a 2 horas desde Quito na Provincia de Pichincha é o lugar perfeito para observação de aves exóticas e orquídeas tropicais e para a prática de esportes radicais como: rafting, tirolesa, rapel, tubbing entre outros já que há várias cachoeiras e rios.

Está a 1250 metros de altura do nível do mar, mas ainda é possível alcançar uma altura maior, já que é oferecido uma caminhada pelas copas das árvores.

É um verdadeiro paraíso escondido. E no final da reserva ainda revela uma surpresa natural, o Rio Bravo. Além da cachoeira de aproximadamente 60 metros – La Esperanza.            

A noite os atrativos são os diversos restaurantes que estão na pequena vila.

Termas de Papallacta:

Localizada a 1 hora desde Quito é uma zona de águas termais entre montanhas a uma altura de 3300 metros acima do nível do mar e as margens do rio Papallacta é a porta de entrada da Amazônia Equatoriana.

O único hotel localizado nessa região é o Termas de Papallacta & Spa onde oferece diversas atividades com terapias e massagens, e para os mais aventureiros existem trilhas, caminhadas e cavalgadas para serem exploradas.

As águas termais são procedentes do vulcão Antisana que ainda está ativo.

Para quem não se quer hospedar nessa região, é possível fazer um passeio de dia completo saindo de Quito.

Ilhas de Galápagos:

Galápagos leva esse nome por causa do arquipélago ter a maior ilha um formato de um cavalo marinho. Ele é formado por 13 ilhas grandes, 6 ilhas menores e dezenas de ilhotas.

A biodiversidade é muito grande nessas ilhas, o que atrai milhares de visitantes e devido a essa biodiversidade ser tão rica, há muitos cuidados específicos – e que deverão ser mantidos – um cuidado que vira uma curiosidade é o fato de ser proibido a existência de gatos nas ilhas para proteger as iguanas.

Iguanas….esse bicho que podemos dizer que é um pouco “exótico” está por toda parte da ilha, e por todas as ilhas…e devem estar tão acostumados com a presença humana, que não importa de ser modelo fotográfico de muitos turistas, já que se mantêm em uma posição imóvel por muito tempo.

O acesso ao arquipélago é por avião – voos diários saem desde Quito ou Guayaquil e vão para Baltra – Ilha de Santa Cruz ou na Ilha de San Cristobal. A partir dessas duas ilhas saem os cruzeiros de 3,4 ou 7 noites para visitar as demais ilhas.

E foi em Galápagos que o naturalista Charles Darwin desenvolveu a Teoria da Evolução Humana em 1835. E é o local onde estão as tartarugas gigantes entre outros animais.

Ilha de Santa Cruz:

É possível chegar nessa ilha por barco, pois é onde está localizado o Puerto Ayora – a maior cidade da ilha, onde os cruzeiros zarpam, ou chegar em avião, o aeroporto de Baltra – o mais importante do arquipélago, também está localizado nessa ilha. É a segunda maior ilha do arquipélago e a com a melhor infraestrutura turística. Essa ilha possui muitas atrações e uma delas é a Reserva de El Chato, onde é possível observar um dos cartões postais de Galápagos: as tartarugas gigantes, o centro de pesquisa Fundação Charles Darwin, que estuda e ajuda a proteger a fauna e a flora locais também está em Santa Cruz.

 Ilha de Isabela:

Localizada no “cavalo marinho”é a maior ilha do arquipélago e possui cinco vulcões – o mas alto é o vulcão Wolf. Com as formações vulcânica essa ilha possui algumas lagoas, colônias de pinguins, flamingos e claro…iguanas. A capital dessa ilha é Puerto Villamil.

Ilha de San Cristobal:

O segundo aeroporto do arquipélago está localizado na ilha de San Cristóbal na capital Puerto Baquerizo Moreno que é a quinta maior ilha de Galápagos, mas de infraestrutura turística é a segunda maior. Essa ilha apresenta uma exclusividade, pois é a única ilha do arquipélago que tem uma fonte de água doce.

Ilha de Fernandina:

É uma ilha especial, pois é considerada a mais antiga do mundo pois nenhuma espécie animal foi introduzida pelo homem. Além disso ainda possui um vulcão ativo que entrou em erupção pela última vez em 2009. Nessa ilha encontramos colônias de leões marinhos, pinguins, garças e claro… iguanas.

Ilha de Santiago:

Essa ilha é a quarta maior em tamanho. Possui piscinas naturais, e lá podemos encontrar diversos tipos de animais como: lobos marinhos, golfinhos, tubarões, flamingos e claro….iguanas. Essa ilha ainda possui dois nomes: James ou San Salvador.

Ilha Espanhola:

Conhecida como santuário das aves – pois é nessa ilha onde milhares de aves constroem os ninhos. E o santuário dos turista é o Puerto Suárez onde encontrará diversidades de animais como vários pássaros: albatroz de Galápagos, atobás de pé azul, atobás mascarados, gavião de Galápagos e além de leões marinhos, e claro…iguanas.

Ilha Santa Maria – Floreana:

É a ilha onde tem o posto de correio mais antigo do mundo feito de barril no século XVIII, as correspondências eram pegas e entregues ao seu destino por navios que ali passavam. Nessa ilha é o lugar de maior concentração da tartaruga verde e as gigantes como em Santa Cruz.

Ilha de Bartolomé:

Um dos cartões postais do arquipélago é a Rocha Pináculo, e fica na ilha de Bartolomé. É uma das ilhas mais jovens, não é habitada por homens..apenas pelos animais que são: aves, leões marinhos, pinguins e claro…iguanas. Além disso tem uma vegetação seca que facilita a vida dos cactos nessa ilha.

Ilha de Genovesa:

É conhecida como a ilha das aves pois espécies como: atóbas de Nazca, pombas de Galápagos, gaivotas de lava, atóbas de pé vermelho, patinhos de Galápagos entre outras encontramos nessa ilha. Mas além dos pássaros encontramos leão marinho e claro….iguanas.

Ilha de Pinta: 

É a ilha que originou a espécie Chelonoidis Nigra Abingdoni – mas conhecido como “Geoge Solitário”,  o último da espécie morrendo em junho/2012. Além do George, essa ilha dividiu seu berço com os répteis da espécie Microlophus Pacificus, muitas aves, e claro…iguanas.

Ilha de Rabida:  

É avermelhada devido a presença de ferro na lava vulcânica. Ocasionalmente poderá observar flamingos e pelicanos. Em 1971 as cabras foram retiradas dessa ilha, dessa forma mudou o eco sistema e levou a extinção de algumas espécies, uma delas foi a iguana…

Ilha Plazas:

São duas ilhas pequenas com uma vegetação rara, o que pode ser observado são:  leões marinhos, andorinhas, gaivotas, fragatas, pelicanos e claro…iguanas.

Ilha Seymour:

É a ilha ideal para ver os fragatas, famosa pelo macho possuir um saco gular vermelho que incha quando esse quer conquistar a fêmea, e a ave simbolo de Galápagos – Atobás de pé azul, e claro…iguanas. 

George – O Solitário:

Além de ser a terra de Charles Darwin, podemos dizer que foi a terra de George – e não estamos falando de uma pessoa, e sim um símbolo de Galápagos, que infelizmente não está mais entre nós.

George era uma tartaruga endêmica da subespécie Chelonoidis Nigra Abingdoni – originário da Ilha de Pinta , porém sua espécia se extinguiu e somente George sobreviveu, e que com o passar do tempo foi conhecido como “Lonesome George” – Solitário George. Levou essa fama mundial por dois motivos:
1- A tartaruga foi encontrada por um residente da ilha que se chama George.
2 – Solitário porque durante anos, biólogos tentaram fazer a tartaruga se reproduzir para não acabar a espécie pois era a última (inclusive até psicólogos foram dar “uma mãozinha” nos relacionamentos, mas o trabalho foi perdido), porque mesmo tendo acasalamento com tartarugas de subespécies, os ovos produzidos não eram férteis.

No dia 24 de Junho de 2012 George deu adeus ao mundo não deixando nenhum descendente. Estima-se que George tinha aproximadamente 80 anos.

Normas para quem visita o arquipélago:

  • Cada ilha é única com sua flora e fauna, todos deverão ter a consciência de não levar nada, e não deixar nada nas ilhas;
  • Os animais das ilhas não deverão ser tocados – principalmente os filhotes, pois uma vez tocados, ficarão com o cheiro de humanos, e as mamães desses filhotes não os reconhecerão, pois elas os alimentam pelo cheiro – se isso ocorrer, fará que o filhote seja rejeitado pela mãe, e não serão mais alimentados, os adultos poderão perder a docilidade, e alterarem o comportamento, e nunca alimente os animais;
  • Não perturbe as aves, pois se elas se sentirem perturbadas, deixarão seus ninhos e ovos ficarão expostos ao sol ou  deixarão cair seus ovos, as aves poderão ser observadas a uma certa distância;
  • Todos os lugares são marcados para as visitas, respeite as sinalizações;
  • É proibido, pescar, fazer fogueiras e fumar nas áreas dos parques;
  • Não deixe nenhum tipo de lixo nas ilhas, isso interfere no processo natural e tira o encanto da paisagem, além de poder ferir ou matar os animais;
  • Não escreva nomes e frases em rochas – “sua imortalidade não é mais importante que a natureza das ilhas”;
  • Para realizar acampamentos, ou filmagem a nível profissional deverá ter uma autorização da Direção do Parque Nacional de Galápagos.

É obrigação de todos cuidar de nosso planeta, fazendo essas pequenas ações, todos os turistas poderão garantir a preservação das ilhas para que mais pessoas possam conhece-las.

Dica de saúde para quem quer conhecer o arquipélago: 

Atenção ao consumo de água, para beber – somente água potável, e para escovar os dentes, os hotéis oferecem água, a água do chuveiro é somente para tomar banho, sendo aconselhável não colocar em contato com a boca.

Trens no Equador:

O Equador nos dá muitas opções de conhecer essa diversidade sobre os trilhos, e são divididas conforme abaixo:

Expedições:

A bordo desse trem é possível fazer oito aventuras distintas de um dia pelo país.

Andes del Norte

  • Tren de la Liberdad I
    • Ibarra – Salinas – Ibarra (quinta-feira, sexta-feira, sábado, domingo e feriados)
  • Tren de la Liberdad II
    • Otavalo – Salinas – Otavalo (sexta-feira, sábado, domingo e feriados)

Andes Centrales

  • Tren de los Vulcanes
    • Quito – Boliche – Machachi – Quito (sexta-feira, sábado, domingo e feriados)
  • Tren de los Vulcanes al Boliche
    • Quito – Boliche – Quito (quinta-feira)
  • Tren del Hielo I
    • Ambato – Mocha – Urbina – Cevallos – Ambato (sexta-feira, sábado, domingo e feriados)

Andes del Sur

  • Tren del Hielo I
    • Riombamba – Urbina – Riobamba (quinta-feira, sexta-feira, sábado, domingo e feriados)
  • Nariz del Diablo
    • Alausí – Sibambe – Alausí (terça-feira, quarta-feira, quinta-feira, sexta-feira, sábado, domingo e feriados)

Costa del Pacífico

  • Tren de la Dulzura
    • Durán – Bucay – Durán (quinta-feira, sexta-feira, sábado, domingo e feriados)
  • Costa – Sierra
    • Durán – Alausi ou Alausí – Durán (sábado – ida / domingo –volta – a cada 15 dias)

Tren Crucero:

Reconhecido como o Melhor Trem de Luxo da América do Sul em 2014 e 2015 é composto com: dois vagões de luxo, um vagão colonial e um vagão estilo republicano, um vagão bar, uma loja de presentes, duas grandes salas panorâmicas e uma cobertura ao ar livre.

Tem uma capacidade máxima para 50 passageiros garantindo um serviço personalizado para todos que viajam nesse seleto trem boutique.

 De los Andes al Pacífico

  • Tren de las Maravillas
    • Quito a Guayaquil – 3 noites (terça-feira a sexta-feira)

1º dia – Quito / Otavalo / San Antonio / San Roque / Ibarra

2º dia  – Quito / Boliche / Ambato / Urbina

3º dia – Riobamba / Colta / Guamote / Alausi / Mirador Nariz del Diablo / Bucay

4ª dia – Bucay / Naranjito / Yaguachi / Durán (Guayaquil)

Del Pacífico a los Andes

  • Tren a las Nubens
    • Guayaquil a Quito – 3 noites (domingo a quarta-feira)

1ª dia – Guayaquil / Yaguachi / Naranjito / Bucay

2ª dia – Bucay / Huigra / Mirador Nariz del Diablo / Alausi / Colta / Riobamba

3º dia – Urbina / Ambato / Boliche / Quito

4º dia  – Otavalo / San Antonio / San Roque / Ibarra

Extensões

  • Cuenca Colonial
    • Extensão do Programa “Tren Crucero” com duas noites em Cuenca

Conectando com Tren Crucero de Quito a Guayaquil (Tren de las Maravillas)

  • Otavalo Mágico
    • Extensão do Programa “Tren Crucero” com duas noites em Otavalo (Cotacachi)

Conectando com Tren Crucero de Guayaquil a Quito (Tren a las Nubes)

É necessário visto para entrar no Equador?

Não, brasileiros podem entrar no Equador sem visto, apenas com o passaporte com validade mínima de 6 meses. No momento da chegada, na imigração é entregue um cartão do turista que permite ficar 90 dias no país – não há custo para esse cartão.

Entrada em Galápagos e Parques Nacionais Equatorianos:

Para visitar o arquepelágo Galápagos é necessário pagar uma taxa de USD 50,00 por pessoa para residentes dos países que fazem parte do Pacto Andino ou do Mercosul – no caso o Brasil faz parte do Mercosul. Para os países que não fazem parte do Pacto Andino nem do Mercosul, os residentes deverão pagar uma taxa de USD 100,00 por pessoa. Essa taxa é paga diretamente em Galápagos. Crianças até 11 anos pagarão 50% do valor.

Outro exigência é o Cartão de Trânsito – esse cartão poderá ser comprado no aeroporto de Quito ou de Guayaquil – e tem o valor de USD 20,00. É válido por todo o tempo de estádia no arquepelágo e é necessário apresentar no momento de chegada e no momento de saída.

Portanto para brasileiros que desejam visitar o arquepelágo de Galápagos deverão pagar USD 70,00 no total.

É obrigatório preencher um formulário (cartão INGALA) para ingressar no arquipelágo. Esse formulário poderá ser preenchido pela internet no site: http://www.gobiernogalapagos.gob.ec/ ou no próprio aeroporto de Quito ou Guayaquil.

A visita do Parque Nacional de Cotopaxi é necessário pagar uma taxa de USD 2,00 por pessoa.

Para visitar a Amazônia é necessário pagar uma taxa de USD 25,00 por pessoa. Crianças até 11 anos pagarão 50% do valor.

Outros Parques Nacionais deverão pagar taxas entre USD 10,00 e USD 20,00.

Taxa hoteleira em Quito e Guayaquil:

Em Quito e Guayaquil é cobrado uma taxa de hospedagem, essa taxa é cobrada no momento do check in ou do check out. As taxas têm um valor de USD 2,00 por apartamento e por noite.
Obs: É apenas uma referência, podendo ter alteração qualquer momento.

É necessário vacina para entrar no Equador?

É obrigatório a vacina contra febre amarela, ela deverá ser tomada no mínimo 10 dias antes do embarque, e tem validade vitalícia.

Qual o fuso horário do Equador?

O Equador – na parte do continente está 5 horas a menos que a UTC , portanto 2 horas a menos que o Brasil (horário de Brasilia), e em Galápagos está 6 horas a menos que a UTC, 3 horas a menos que o Brasil (horário de Brasilia).

É recomendado usar seguro saúde?

Não só como o Equador, mas em qualquer outro pais, o seguro saúde é bem recomendado, e algumas seguradoras tem seguro até contra extravio de malas. Vale a pena contratar.

Qual o idioma falado pelos equatorianos?

No Equador são dois idiomas oficiais: o espanhol e o quéchua (língua indígena). Nos atrativos turísticos  o inglês, é usado.

Quanto dinheiro levar?

Equador em geral é um pais barato, exceto Galápagos que por se tratar de uma ilha, todos os produtos que chegam na ilha vem do continente, que acaba tornando mais caro.

Além de ser barato, é possível pechinchar nas compras, principalmente de artesanatos. Com USD50,00 diários é possível passar muito bem a viagem, se for para Galápagos considere USD100,00 diários, principalmente se optar por comprar os passeios na própria ilha.

Tempo de viagem  entre algumas cidades do Equador:

Em ônibus
QuitoOtavalo2h
QuitoCotopaxi3h
QuitoRiobamba3h
QuitoNariz del Diablo4h50
QuitoAlausí4h30
QuitoCuenca7h30
QuitoPuyo4h
QuitoFrancisco de Orellana4h40
QuitoMontañita8h40
QuitoCotacachi2h
QuitoBaños3h
CuencaOtavalo8h50
CuencaCotopaxi7h30
CuencaAlausí2h50
CuencaNariz del Diablo7h
CuencaGuayaquil3h30
CuencaRiobamba4h30
CuencaPuyo5h40
CuencaFrancisco de Orellana9h40
CuencaMontañita5h45
CuencaCotacachi9h20
CuencaBaños6h
GuayaquilQuito7h
GuayaquilRiobamba4h
GuayaquilOtavalo8h30
GuayaquilCotopaxi5h30
GuayaquilNariz del Diablo6h40
GuayaquilPuyo6h30
GuayaquilFrancisco de Orellana10h30
GuayaquilMontañita2h20
GuayaquilCotocachi9h
GuayaquilBaños5h
Em avião
QuitoGalápagos3h
QuitoGuayaquil50min
GuayaquilGalápagos1h50
GuayaquilCuenca35min
CuencaQuito50min

Onde comprar?

No Equador é muito comum mercados de artesanatos, o mais famoso é Otavalo que está a 110Km ao norte de Quito é um mercado de artesanato a céu aberto e o maior do país, encontra-se de tudo, e pechinchar é obrigação do visitante.

A 20Km de Otavalo, está Cotacachi – famosa pela produção e venda de vários artigos de couro de boa qualidade.

Ainda nos mercados artesanais, em Quito são dois principais: La Mariscal e Olga Fisch onde encontrará todo tipo de artesanato, e onde se pode pechinchar no momento da compra.

Além desses mercados de artesanatos em Quito a Rua La Ronda é estreita, charmosa e têm várias lojas de artesanatos.

E alguns shoppings na capital equatoriana como: Mall e Jardín, Quicentro Shopping e o Centro Comercial El Bosque.

Em Guayaquil lugares indicados a compras são: Mall del Sol, San Marino Shopping e Rio Centro.

Em Cuenca, podemos dividir os lugares de compras da seguinte forma:

– joias e artesanatos: Relicario de las Artes
– chapéu panamenho: Homero Ortega
– artesanato: El Tucán
– joias: Joalheria Guillermo Vazquez
– joais com desenhos: Spondylos Galeria
– ceramica: Eduardo Vega

O famoso chapéu panamenho é feito no Equador, então na verdade ele é um “chapéu equatoriano”, e é encontrado facilmente nos mercados de artesanatos.

Avatar

Katia

Kátia Ribeiro - Luxury Concierge, assessora em viagens exclusivas pelo mundo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *