Guia de viagem – África do Sul

Como ir?


Tem voos saindo do Brasil direto para a África do Sul com uma cia aérea sul-africana.

South African Airways

Além dessa opção, temos outras cias aéreas que também chegam nesse pais.

Turkish
KLM
Qatar
Ethipian Airlines
Emirates
Air France

Quando ir?

A melhor época para visitar a África do Sul para um safári de vida selvagem é de maio a setembro. Durante estes meses de inverno, o leste do país (onde estão localizados os principais parques) vive a estação seca. A vida selvagem é mais fácil de detectar durante a estação seca porque a vegetação diminui e os animais se reúnem em torno de poços e rios. No quadro abaixo ‘Kruger & Around’ referem-se aos parques e reservas na Grande Kruger e na província de KwaZulu-Natal.
As estações seca e chuvosa da Cidade do Cabo são opostas às do Kruger. Portanto, a melhor época para visitar a Cidade do Cabo e arredores é durante os meses secos de verão, de novembro a março. No quadro abaixo ‘Cidade do Cabo e arredores’ se aplicam a todo o Cabo Ocidental e aos parques próximos.

Maio a Setembro – Estação Seca – Inverno
Prós – Kruger e arredores

  • A vida selvagem é mais fácil de detectar porque há menos vegetação e os animais se reúnem em torno de rios e poços de água;
  • Pouca ou nenhuma chuva e a maioria dos dias são ensolarados;
  • Poucos mosquitos;
  • Baixa temporada e os parques não ficam lotados, exceto Kruger durante as férias escolares.

Contras – Kruger e arredores

  • Faz frio à noite e de manhã.

Outubro a abril – Estação chuvosa – Verão
Prós – Kruger e arredores

  • Depois das primeiras chuvas, o cenário fica verde e tudo parece fresco;
  • Melhor época para observação de aves e aves migratórias estão presentes;
  • As chuvas são principalmente aguaceiros curtos à tarde e raramente interferem na sua viagem.

Contras – Kruger e arredores

  • A observação da vida selvagem pode ser bastante lenta, pois o mato é mais denso e a vida selvagem é mais difícil de detectar;
  • Faz muito calor em dezembro, janeiro e fevereiro, e os parques ficam lotados durante as principais férias escolares de dezembro.

Maio a setembro – Estação chuvosa – Inverno
Prós – Cidade do Cabo e arredores

  • Baixa temporada com poucos visitantes por perto;
  • Embora seja a estação chuvosa, há muitos dias ensolarados;
  • A observação da vida selvagem nos parques da Região do Cabo é boa durante todo o ano.

Contras – Cidade do Cabo e arredores

  • Está frio para atividades de praia e férias em geral;
  • Os safaris em veículos abertos são extremamente frios.

Outubro a Abril – Estação Seca – Verão
Prós – Cidade do Cabo e arredores

  • Clima agradável e quente com pouca chuva;
  • Melhor época para aproveitar a Cidade do Cabo e a Garden Route;
  • A observação da vida selvagem nos parques da Região do Cabo é boa durante todo o ano;
  • Faz menos frio em safaris.

Contras – Cidade do Cabo e arredores

Fica movimentado na alta temporada.

Melhor época para visitar os parques da África do Sul.

A maioria dos parques oferece observação da vida selvagem durante todo o ano, mas eles estão no seu melhor durante a estação seca, quando a vida selvagem é mais fácil de detectar. Kgalagadi fica extremamente quente de dezembro a fevereiro e é melhor visitado nos meses mais frios.

Reserva Hluhluwe-iMfolozi

A melhor época para visitar a Reserva Hluhluwe-iMfolozi é nos meses mais secos de inverno, de maio a setembro. Nessa época a vegetação diminui e os animais se reúnem em torno das fontes de água. Os abrigos localizados nas poças estão particularmente ocupados com a actividade animal nesta época. Os meses mais frios de inverno também são considerados época baixa e o parque tende a ficar menos movimentado, com exceção das férias escolares.
Melhor época: Maio a setembro (estação seca);
Alta temporada: Outubro a março (O parque pode ficar movimentado especialmente durante as férias escolares);
Baixa temporada: Abril a Setembro (Excelente época para observar a vida selvagem);
Melhor clima: Abril-maio ​​e setembro-outubro (clima ameno e pouca chuva);
Pior clima: Junho a agosto (manhãs e noites frias) e dezembro a fevereiro (quente e úmido).

Maio a Setembro – Estação Seca – Inverno
Prós Reserva Hluhluwe-iMfolozi

  • Melhor época para observar a vida selvagem;
  • O parque é muito tranquilo, exceto durante as férias escolares;
  • Pouca chuva e céu azul;
  • Os safaris matinais em veículos abertos são frios.

Contra Reserva Hluhluwe-iMfolozi

O céu está nebuloso com muita poeira no ar.

Outubro a abril – Estação chuvosa – Verão
Prós Reserva Hluhluwe-iMfolozi

  • Cenários exuberantes e belas paisagens;
  • Existem animais recém-nascidos por aí;
  • A observação de pássaros está no seu melhor e as aves migratórias estão presentes.

Contra Reserva Hluhluwe-iMfolozi

  • A observação da vida selvagem não é tão boa como durante a estação seca;
  • É alta temporada e o parque está mais movimentado;
  • Está quente e úmido no meio do dia.

Parque Nacional Kruger

A melhor época para visitar o Parque Nacional Kruger é durante os meses secos de inverno, de maio a setembro. Nessa época, o mato fica mais ralo e os animais se reúnem em torno de poços e rios. As condições tendem a melhorar à medida que o inverno avança, e setembro é particularmente agradável, pois as manhãs são menos frias do que no meio do inverno. A melhor época para observar a vida selvagem também coincide com a época baixa, tornando-a ainda mais atractiva.
Melhor época: Maio a setembro (estação seca);
Alta temporada: Dezembro a janeiro e julho a agosto (especialmente durante as férias escolares);
Baixa temporada: Abril a meados de junho e setembro a novembro (exceto nas férias escolares de outubro);
Melhor clima: Abril a maio e setembro a outubro (clima ameno e pouca chuva);
Pior clima: Junho a agosto (manhãs e noites frias) e dezembro a fevereiro (quente e úmido).

Maio a Setembro – Estação Seca – Inverno
Prós Reserva Parque Nacional Kruger

  • A vida selvagem se reúne em torno da água e a vegetação diminui, tornando a visualização muito mais fácil;
  • É época baixa, excepto nas férias escolares, e os acampamentos e estradas estão menos movimentados;
  • Céu ensolarado e sem chuva;
  • Temperaturas diurnas amenas e baixa umidade;
  • Praticamente nenhum risco de malária.

Contra Reserva Parque Nacional Kruger

  • Está muito seco e as estradas de terra ficam empoeiradas;
  • Os safaris matinais em veículos abertos são frios; roupas quentes são necessárias.

Outubro a abril – Estação chuvosa – Verão
Prós Reserva Parque Nacional Kruger

  • O cenário é verde e fresco;
  • Existem muitos filhotes de animais e a vida selvagem está em boas condições;
  • A observação de pássaros é excelente e as aves migratórias estão presentes.

Contra Reserva Parque Nacional Kruger

  • A observação da vida selvagem não é tão boa como durante a estação seca;
  • É alta temporada e os principais acampamentos ficam movimentados;
  • Quente e úmido no meio do dia;
  • É aconselhável tomar medicamentos antimaláricos.

MalaMala

A melhor observação da vida selvagem em MalaMala é durante os meses de inverno, de maio a setembro. O Inverno é a estação seca e o mato diminui nesta altura, à medida que os animais procuram alívio da seca em poços e rios. Setembro é provavelmente a melhor época de todas, pois é um pouco mais quente que o resto dos meses de inverno.
Melhor época: Maio a setembro (estação seca);
Alta temporada: Outubro a março (nunca fica muito lotado);
Baixa temporada: Abril a setembro (a observação da vida selvagem é a melhor);
Melhor clima: Abril-maio ​​e setembro-outubro (clima ameno e pouca chuva);
Pior clima: Junho a agosto (manhãs e noites frescas) e dezembro a fevereiro (quente e úmido).

Maio a Setembro – Estação Seca – Inverno
Prós MalaMala

  • A vida selvagem é mais fácil de detectar à medida que a vegetação diminui e os animais se reúnem ao redor dos rios;
  • O sol é abundante com poucas nuvens;
  • Não é úmido e as temperaturas diurnas são agradáveis;
  • Há pouco risco de malária.

Contra MalaMala

  • Está muito seco;
  • Faz fruio durante os passeios matinais e noturnos.

Outubro a abril – Estação chuvosa – Verão
Prós MalaMala

  • A paisagem é bonita e verde;
  • Existem muitos animais recém-nascidos e a vida selvagem é saudável;
  • A observação de pássaros é excelente e as aves migratórias estão presentes.

Contra MalaMala

  • A estação seca é um pouco melhor para observação da vida selvagem;
  • Fica quente e úmido;
  • Medicação antimalárica é recomendada.

Phinda

Phinda oferece ótimas observações da vida selvagem durante todo o ano, mas os melhores meses são durante o inverno (maio a setembro). Durante esse período, os animais são mais facilmente avistados enquanto se reúnem em fontes de água permanentes, e as condições de seca fazem com que o mato recue. Durante os meses chuvosos de verão, chuvas fortes podem limitar a condução off-road, o que pode ter impacto na observação de animais.

Melhor época: Maio a setembro (estação seca);
Alta temporada: Nenhum (tarifas mais altas se aplicam durante as férias escolares);
Baixa temporada: Nenhum (taxas mais baixas se aplicam fora das férias escolares);
Melhor clima: Abril a maio e setembro a outubro (clima ameno e pouca chuva);
Pior clima: Dezembro a fevereiro (quente e úmido).

Maio a Setembro – Estação Seca – Inverno
Prós Phinda

  • Os animais são facilmente avistados à medida que se reúnem em fontes de água e a vegetação diminui;
  • A maioria dos dias são ensolarados e claros.

Contra Phinda

  • Os safaris matinais em veículos abertos são muito frios;
  • Poeira e neblina prevalecem.

Outubro a abril – Estação chuvosa – Verão
Prós Phinda

  • Folhagem abundante e paisagens exuberantes;
  • Animais bebês podem ser vistos;
  • Aves migratórias são excelentes para observação de pássaros.

Contra Phinda

  • Os animais são mais fáceis de detectar durante os meses de seca;
  • Está muito quente e úmido;
  • A condução off-road pode ser limitada após chuva forte.

Sabi Sands

A melhor época para visitar Sabi Sands é durante o inverno, que também é considerada a “baixa temporada”. Esta é a estação seca que vai de maio a setembro. Os animais são fáceis de detectar durante os meses de seca, pois a folhagem torna-se menos abundante e aglomeram-se à volta de rios e poços de água. Setembro é um mês adorável para visitar. É também o menos frio dos meses de inverno.

Melhor época: Maio a setembro (estação seca);
Alta temporada: Outubro a março (pode ficar um pouco ocupado);
Baixa temporada: Abril a Setembro (Excelente época para observar a vida selvagem);
Melhor clima: Abril a maio e setembro a outubro (clima ameno e pouca chuva);
Pior clima: Junho a agosto (manhãs e noites frias) e dezembro a fevereiro (quente e úmido).

Maio a Setembro – Estação Seca – Inverno
Prós Sabi Sands

  • Os animais são mais fáceis de detectar porque se concentram em torno das fontes de água;
  • É baixa temporada;
  • Praticamente sem chuva e com muito sol;
  • Temperaturas diurnas amenas e baixa umidade;
  • Muito pouco risco de malária.

Contra Sabi Sands

  • O ar está empoeirado e seco;
  • É necessário usar roupas quentes para os safaris matinais e noturnos.

Outubro a abril – Estação chuvosa – Verão
Prós Sabi Sands

  • O cenário é exuberante e verde;
  • Existem muitos animais recém-nascidos por aí;
  • A observação de pássaros é excelente e as aves migratórias estão presentes.

Contra Sabi Sands

  • A estação seca é a melhor época para observar a vida selvagem;
  • Pode estar lotado pois é alta temporada;
  • Os dias são quentes e úmidos;
  • Medicamentos antimaláricos são necessários.

Rota Jardim

De outubro a abril são os melhores meses para visitar, com clima agradável e pouca chuva.

Quantos dias ficar?

A África do Sul oferece várias opções de turismo, obviamente a fama se deve mais aos safaris. Para fazer um safari, pode ser desde 02 a 11 noites. Somando com uma das capitais: Cape Town, pode adicionar um mínimo de 3 noites no roteiro. E se desde Cape Town, desejar conhecer a famosa Rota do Jardim, entao adicione 4 noites na viagem. E como a maioria dos voos chegam e saem por Johannesburgo, se desejar adicionar esse destino e a grande Sun City com seu casino, adicione mais 3 ou 4 noites no roteiro.

Qual a voltagem e o tipo de tomada na África do Sul?

A voltagem é de 220 e a tomada é do modelo: três furinhos redondos em formato triangular (figura D).

Qual a moeda?

O Rand, é a moeda local, dólares e euros são aceitos nas casas de cambio. Além de cartoes de crédito de todas as bandeiras.

Que roupa usar?

Roupas e sapatos comôdos. Algumas regiões de safari no periodo da manhã e da noite as temperaturas caem um pouco, então é importante levar algum agasalho. Para quem for viajar durante o verão, e for aproveitar as praias de Cape Town, coloque na mala roupas de banho e leves. Para os safáris, prefira roupas neutras, de cor verde ou bege. Não esqueça de levar bonés, chapéu, óculos escuros, protetor solar e labial e repelente.

Clima na África do Sul

O inverno e o verão da Reserva de Hluhluwe-iMfolozi caem em épocas do ano opostas às estações da Europa e da América do Norte. O verão corresponde à estação chuvosa e o inverno à estação seca. Hluhluwe-iMfolozi tem um clima subtropical. Os meses chuvosos de verão (outubro a abril) são quentes e úmidos. Os invernos secos (maio a setembro) são agradavelmente quentes.

Estação seca – maio a setembro – inverno

Chove muito pouca no inverno, mas pode haver chuvas ocasionais devido à proximidade da costa. O calor é menos opressivo do que no verão e o céu geralmente está sem nuvens.
Maio – O fim do verão significa que chove menos e a umidade cai. Está esfriando e as temperaturas médias são de 12°C pela manhã e 27°C à tarde.
Junho, julho e agosto – As tardes são agradáveis, com temperaturas em torno de 23°C, mas caem para 11°C à noite. As manhãs frias devem ser esperadas. É aconselhável trazer roupas quentes.
Setembro – Este mês traz a primavera. As temperaturas aumentam gradualmente e a temperatura média diurna é de 26°C. As manhãs são menos frias, com temperaturas em torno de 15°C. Vai começar a chover agora com algumas trovoadas verdadeiras.

Estação chuvosa – outubro a abril – verão

É muito quente e úmido durante o verão. Chove muito, mas principalmente à tarde. Fortes tempestades podem ser esperadas.
Outubro e Novembro – Chuva à tarde é comum e às vezes pode chover o dia todo. As temperaturas ficam entre 17°C pela manhã e 28°C à tarde.
Dezembro, janeiro e fevereiro – Esses meses tendem a ser quentes e úmidos. Há uma tempestade quase todas as tardes. A temperatura média à tarde é de 31°C, mas as temperaturas de pico são muito mais altas. As temperaturas matinais ficam em média 18°C.
Março e Abril – Esfria um pouco e as temperaturas ficam em torno de 30°C à tarde. Chove menos e a umidade diminui. As manhãs são amenas a 16°C.

O Parque Nacional Kruger vivencia o inverno e o verão em horários opostos aos da Europa e da América do Norte. Os meses chuvosos de verão (outubro a abril) são quentes e frequentemente úmidos. Os invernos secos (maio a setembro) são quentes e amenos, embora esfriem consideravelmente à noite. É aconselhável levar agasalhos para os safaris matinais e noturnos.

Estação seca – maio a setembro – inverno

Praticamente não chove durante todo o inverno e a umidade é muito baixa. Os animais são atraídos por fontes de água permanentes à medida que a água se torna escassa no mato.
Maio – Este é um mês de transição e marca o fim do verão. As temperaturas estão esfriando para uma média de 12°C pela manhã e 28°C à tarde.
Junho, julho e agosto – Os safaris matinais em veículos abertos serão frios, então leve roupas quentes. A temperatura média matinal é de 11°C. As tardes serão agradáveis ​​com temperaturas em torno de 25°C e céu sem nuvens.
Setembro – O calor aumenta gradualmente até cerca de 28°C à tarde, e as primeiras chuvas trazem alívio das condições muito secas. As manhãs são menos frias, com temperaturas em torno de 15°C.

Estação chuvosa – outubro a abril – verão

Pode ser desconfortavelmente quente e úmido no verão. As temperaturas máximas frequentemente atingem bem mais de 40°C, embora as temperaturas diurnas médias sejam de 32°C com alta umidade. Raramente chove o dia todo, mas o padrão são tempestades à tarde.
Outubro e Novembro – Fica mais quente e começa a chover com mais frequência, principalmente à tarde. As temperaturas ficam entre 18°C pela manhã e 31°C à tarde.
Dezembro, janeiro e fevereiro – São os meses mais chuvosos e quentes, caracterizados por chuvas torrenciais à tarde e alta umidade. As temperaturas da tarde geralmente ficam em torno de 32°C, mas podem subir até insuportáveis ​​40°C.
Março e abril – As chuvas diminuem e lentamente esfria. Abril tem um tempo agradável, claro e com poucas nuvens. As noites ficam um pouco mais frias, mas ainda são agradáveis ​​a cerca de 16°C. As temperaturas diurnas ficam em torno de 32°C e a umidade cai.

O inverno e o verão na África do Sul ocorrem em épocas opostas às estações da Europa e da América do Norte. É quente e úmido na Reserva MalaMala durante os meses chuvosos de verão (outubro a abril). As condições nos invernos secos e temperados (maio a setembro) esfriam durante a noite, tornando necessárias roupas quentes para os safaris matinais e noturnos.

Estação seca – maio a setembro – inverno

A ausência de chuvas durante os meses de inverno garante que o nível de umidade seja baixo. Os animais são mais fáceis de detectar porque saem para se reunir em torno de fontes de água.
Maio – O mês de maio representa o fim do verão. As temperaturas típicas consistem em 12°C pela manhã e 26°C à tarde.
Junho, julho e agosto – As temperaturas médias matinais de 9°C significam que é importante levar roupas quentes nos safaris. As tardes permanecerão temperadas e ensolaradas, com máximas em torno de 25°C.
Setembro – As condições de seca diminuem gradualmente com a chegada das primeiras chuvas. O calor aumenta para médias à tarde de 28°C. As temperaturas matinais começam a subir e ficam em média em torno de 14°C.

Estação chuvosa – outubro a abril – verão

Com as temperaturas máximas frequentemente subindo para mais de 40°C, as condições quentes e úmidas do verão podem ser difíceis de lidar. As temperaturas médias diárias ficam em torno de 30°C, com tempestades à tarde. Um dia inteiro de chuva seria incomum.
Outubro e Novembro – As chuvas tornam-se mais comuns, principalmente à tarde. As temperaturas oscilam entre 17°C pela manhã e 30°C à tarde.
Dezembro, janeiro e fevereiro – Chuvas torrenciais ocorrem com frequência durante esta época. O calor e a umidade atingem seu pico anual e, juntamente com a umidade, são difíceis de lidar. As temperaturas podem subir mais de 40°C com uma média diária de 31°C.
Março e Abril – As temperaturas caem gradualmente e as chuvas diminuem até Abril, que é caracterizado por tempo bom, claro e pouca humidade. As noites têm uma temperatura média constante e agradável de 18°C, com temperaturas ao meio-dia de 29°C.

A Reserva Phinda, por estar no hemisfério sul, tem inverno e verão que ocorrem em épocas opostas como na Europa e na América do Norte. O inverno vai de maio a setembro e o verão vai de outubro a abril. O clima de Phinda é subtropical e a estação chuvosa cai durante os meses quentes e úmidos do verão. Os invernos são secos e caracterizados por noites frescas e dias agradavelmente quentes.

Estação seca – maio a setembro – inverno

Embora possam ocorrer aguaceiros ocasionais devido à proximidade do parque com a costa, há muito pouca chuva durante o inverno. O calor é mais suportável do que no verão e o céu está ensolarado e claro.
Maio – À medida que as temperaturas médias esfriam para 13°C pela manhã e 27°C à tarde, o verão chega ao fim. As chuvas diminuem, junto com a umidade.
Junho, julho e agosto – As temperaturas à tarde são agradáveis ​​em torno de 24°C. À noite, a média cai para 12°C, fazendo com que as manhãs sejam bastante frias. É imprescindível trazer agasalhos.
Setembro – Este mês significa um aumento nas temperaturas, com média de 26°C durante o dia. As manhãs são mais quentes, em torno de 16°C. As chuvas começam, muitas vezes na forma de trovoadas.

Estação chuvosa – outubro a abril – verão

As tempestades à tarde são típicas do verão quente e úmido, mas raramente chove o dia todo.
Outubro e Novembro – Às vezes chove o dia todo e chove regularmente durante a tarde. As temperaturas médias ficam entre 18°C pela manhã e 28°C à tarde.
Dezembro, janeiro e fevereiro – Chove quase todos os dias, mas principalmente na forma de tempestades à tarde. A temperatura média diurna é de 32°C, embora possa subir muito mais. A manhã tem temperaturas mais agradáveis, em torno de 19°C.
Março e Abril – Há menos chuva e umidade. As temperaturas à tarde caem para um nível mais suportável, com média de 31°C. As manhãs são confortáveis ​​17°C.

A Reserva Sabi Sand vivencia o inverno e o verão em horários opostos às estações da Europa e da América do Norte. Outubro a abril são os meses quentes e úmidos do verão, enquanto o inverno ameno e seco ocorre de maio a setembro. Embora os dias de inverno sejam agradáveis, faz frio pela manhã, por isso roupas quentes são aconselháveis ​​para os safaris.

Estação seca – maio a setembro – inverno

Na maior parte, não chove durante o inverno e a umidade é baixa. As fontes permanentes de água tornam-se um local de reunião dos animais, tornando-os mais fáceis de localizar.
Maio – Maio marca o fim do verão. As temperaturas ficam em torno de 11°C pela manhã e 28°C à tarde, conforme o tempo esfria.
Junho, julho e agosto – Devido às manhãs frias (10°C), é aconselhável trazer roupas quentes para os safaris matinais. Haverá céu sem nuvens à tarde e as temperaturas serão agradáveis ​​em torno de 24°C.
Setembro – As primeiras chuvas trazem alívio e amenizam a seca. O calor sobe para uma temperatura média à tarde de 27°C. As manhãs são amenas, com temperaturas médias em torno de 15°C.

Estação chuvosa – outubro a abril – verão

O verão pode ser quente e úmido, às vezes a um nível desconfortável. As temperaturas costumam atingir 40°C, mas a média diurna fica em torno de 32°C com alta umidade. As tempestades à tarde são normais, mas as chuvas durante todo o dia são raras.
Outubro e Novembro – As temperaturas aumentam e as chuvas à tarde tornam-se mais frequentes. As temperaturas típicas variam de 18°C pela manhã a 30°C à tarde.
Dezembro, janeiro e fevereiro – São os meses de maior pluviosidade e temperaturas mais elevadas, aliados à intensa umidade. A temperatura média à tarde é de 33°C, mas não é incomum que atinja insuportáveis ​​40°C.
Março e abril – A chuva diminui e esfria gradativamente. Esta tendência continua em Abril, que é o mês mais agradável, com pouca chuva, menos humidade e céu ensolarado. As temperaturas noturnas caem para 15°C e as temperaturas diurnas de 32°C são típicas.

Onde ficar na África do Sul?

Em Cape Town, uma das capitais sul-africana, possui belissimos cenários naturais. As melhores regiões para se hospedar são: Camps Bay – uma aréa mais nobre da cidade. Sea Point, é uma região litorânea com um belo visual. Green Point, uma região tranquila e próxima a Waterfront. Waterfront que é o centro turistico da cidade, com muitas opções de lazer.

Em Joahhnesburgo, quem quer glamour e luxo poderá considerar Sandton. Para que deseja se hospedar perto de comercios e a cultura local, a Rosebank é uma boa opção. Um bairro seguro, charmos e aconchegante é o Melrose.

Nas reservas dos safaris:

Parques nacionais ou reservas privadas, o que escolher?

Parques nacionais:

Os parques nacionais são grandes s e possuem estradas asfaltadas ou de terra batida, com fácil locomoção, facilintando a vida de quem quer alugar um carro e entrar no parque, sem a necessidade de um guia. Além disso os parques nacionais são mais acessíveis e oferecem opções de hospedagens para todos os bolsos. Em termos da vida selvagem esses parques geralmente possuem uma quantidade maior de animais que as reservas privadas, proporcionando encontros com manadas completas – mas não é permitido sair das trilhas ou estradas.

Reservas privadas:

As reservas privadas são mais exclusivas. O safári só é permitido para quem estiver hospedado em seus hotéis e os carros podem sair das trilhas demarcadas para buscar os animais entrando no meio dos arbustos, por exemplo. Além disso, possui motorista e um olheiro especializado em buscar animais e o self-drive não é permitido. Nas reservas privadas, encontramos lodges luxuosos e exclusivos com serviços personalizados, muitas vezes perto de poças de água, onde os animais se aproximam para tomar água.

Sabi Sands

A maioria dos lugares em Sabi Sands oferece os mesmos serviços: pacotes de safári sofisticados, incluindo acomodação, todas as refeições e atividades. Algumas pousadas de luxo incluem bebidas, enquanto outras não. As reservas individuais compartilham fronteiras sem cercas com o ecossistema do Grande Kruger e oferecem uma experiência comparável de observação da vida selvagem. Todas as reservas de Sabi Sands são excelentes destinos de safari. Ao decidir onde ficar, as diferenças nos seguintes fatores podem ser levadas em consideração:

Tamanho da propriedade e direitos de passagem

Os direitos de passagem significam que os hóspedes de uma reserva podem entrar na propriedade de outra reserva em safaris. Embora os direitos de travessia dêem às pessoas acesso a uma área maior, isso também significa que as áreas partilhadas por múltiplas reservas ficam frequentemente mais lotadas. Isto pode criar congestionamento e pressão de tempo em torno dos avistamentos de vida selvagem, uma vez que apenas três veículos são permitidos em qualquer avistamento específico. O melhor negócio é uma grande propriedade com direitos de passagem limitados ou inexistentes. Singita e Londolozi, por exemplo, possuem uma grande propriedade sem direitos de passagem. O mesmo se aplica a MalaMala, que fazia parte do Sabi Sands, mas agora funciona como uma reserva independente.

Nível de luxo e taxas

Embora todos ofereçam opções luxuosas e caras, existem algumas diferenças. Londolozi e Singita são, por exemplo, mais caras e muito luxuosas. O despretensioso Umukumbe Safari Lodge é muito mais acessível. Elephant Plains tem uma variedade de acomodações, incluindo rondavels com bons preços.

Acesso à frente ribeirinha

A fachada do rio é uma vantagem porque atrai animais. Embora os poços tenham o mesmo efeito, um rio também é uma atração pitoresca e oferece a oportunidade de ver elefantes na água. Algumas das reservas não têm fachada para o rio, mas têm direito de atravessar uma propriedade que o faz, o que equivale à mesma coisa.

O que visitar na África do Sul?

Em Cape Town o principal ponto turistico, que faz parte de uma das sete maravilhas naturais do mundo é a Table Mountain (montanha da mesa), que tem um bondinho que leva os turistas para uma vista de 360º da cidade. A Boulders Beaach, uma linda praia com uma colônia de pinguins. Two Oceans Aquarium um aquário com encontro dos dois oceanos: Atlântico e Índico. O Cabo da Boa Esperança, quem nunca estudou a história das navegações que tinha como cenário o Cabo da Boa Esperança? Considerado Patrimônio Natural da Humanidade pela UNESCO. Waterfront – para se divertir, fazer compras e comer. A Long Street além de estar na lista das compras, poderá visitar seus grandes arranha céus, provar a gastronomia local, e vida noturna. Para quem não deixa a vida religiosa de férias, a Catedral de São Jorge de estilo gótico, é um belo lugar para visitar. Cape Point, para ter um dos ângulos mais lindos da cidade. Camps Bay uma bela praia com boa gastronômia. A famosa ilha Robben Island, lugar que o Nelson Mandela ficou preso durante o Apartheid.
E para quem aprecia um bom vinho. África do Sul é um ótimo lugar, com vinicolas perto de Cape Town, que vale a pena a visita: Constantia – uma região no interior de Cape Town, vinicolas de Stellenbosch tem safras exclusivas para degustações.
Kirstenbosh Botanical Gardens é um lindo jardim que está perto da Table Montain.
E para fazer safari, poderá fazer desde Cape Town, na Aquila Private Game e Inverdoom.
No bairro Bo Kaap, a parte colorida da cidade, com suas casas de cores vivas, tranzendo alegria para as ruas. E para apreciar um belo pôr do sol, o melhor lugar é na Signal Hill.
Em Joahhnesburgo para quem gosta de história uma boa pedida é visitar o Museu do Apartheid e Constituição Hill, além do Soweto (Memorial Hector Pieterson, Igreja Regina Mundi, Mandela House Museum, Vilasaki Street e Orlnado Towers), Casa de Nelson Mandela.
Carlton Centre é um edificio de 223 metros de altura, ótimo lugar para ter uma vista panorâmica da cidade.
Para quem busca diversão e gastronômia a Gold Reef City é o local ideal. Para quem quer apostar a sorte, Montecasino é o destino.
Para safaris, Pilanesbert é uma reserva com mais de 7 mil animais, está próxima a Johannesburgo e Lion Park – um parque que tem a interação com os filhotes dos felinos.
Para os amantes do futebol, a visita no Estádio Soccer City deverá estar na lista.
O complexo Sandton City, oferece lazer, compras e gastrônomia e próximo a Nelson Mandela Square.
A famosa Rota Jardim – Garden Route, uma estrada com muita vegetação – que faz juz ao nome, liga Cape Town até Port Elizabeth, passando por varios vilarejos. As principais paradas são: Prince Albert, Oudtshoorn (fazendas de avestruz), Plettenberg Bay, Knysna, Bloukrans Bridge (onde está o bungee jump da ponte mais alta do mundo), Stellenbosch, Mossel Bay, Tsitsikamma e Donkin Reserve. A soma desses vilarejos é uma mistura entre muita natureza, e cultura. É uma boa opção para quem deseja viajar com carro alugado e fazer a viagem a sua maneira.
Hluhluwe-iMfolozi é o principal parque da província de Kwazulu-Natal. É também um dos parques mais antigos da África, originalmente criado na década de 1890 como santuário para uma última pequena população de rinocerontes brancos do sul. Foi aqui que a espécie foi salva da extinção. Rinocerontes agora são muito comuns no parque.
Hluhluwe-iMfolozi oferece excelente observação da vida selvagem e é o lar de todos os Big Five. Ambas as espécies de rinocerontes estão presentes e o rinoceronte branco é particularmente comum. A vegetação densa torna difícil avistar qualquer um dos grandes felinos. Os cães selvagens foram reintroduzidos e são mais propensos a serem observados quando ativos no início ou no final do dia. O parque tem belas paisagens com colinas, vales, florestas e planícies gramadas. Três rios correm nos vales, sendo o mais notável o rio Hluhluwe com a sua série de piscinas. A maior parte da vegetação é muito densa, tornando a observação da vida selvagem um pouco mais desafiadora.
O Parque Nacional Kruger é justificadamente um dos parques mais famosos da África. O parque tem o tamanho de um pequeno país e abriga uma enorme variedade de vida selvagem. Todos os Big Five estão presentes em grande número. Uma rede rodoviária abrangente, adequada para carros 2WD, significa que Kruger é um dos melhores parques para safaris autônomos. Oferece uma magnífica observação da vida selvagem. Todos os principais animais do safari estão presentes, incluindo os Big Five. Os grandes felinos estão presentes em grandes números, e os leões, em particular, são vistos com frequência. Elefantes e búfalos são comuns por toda parte, enquanto os rinocerontes brancos, embora ainda numerosos, estão ameaçados pela caça furtiva. O parque tem uma grande variedade de antílopes, incluindo o kudu maior e o impala muito comum.
O principal habitat do Kruger é a savana florestal, e a vegetação é relativamente densa, especialmente durante a estação chuvosa. A paisagem suavemente ondulada tem o seu pico mais alto em Khandzalive (839m), no sudoeste. O Olifants Camp, situado no alto de um penhasco com vista para o Rio Olifants, é um destaque panorâmico com vistas de cair o queixo. As árvores a serem observadas incluem o baobá no norte tropical e a impressionante árvore da febre amarela perto da água.
MalaMala é uma reserva de caça privada independente que compartilha fronteiras não cercadas com o Parque Nacional Kruger, a leste, e com a Reserva Sabi Sand, em todos os outros lados. Tendo sido pioneira na experiência de reserva de caça privada de luxo na década de 1960, oferece algumas das melhores observações da vida selvagem em África, com avistamentos fáceis e de qualidade dos Big Five e do leopardo, em particular. Oferece algumas das melhores vistas da vida selvagem do continente. Os Big Five geralmente são verificados em dois dias, e o leopardo é facilmente localizado na maioria das unidades. Todos os avistamentos são exclusivos para visitantes de MalaMala porque a reserva não dá direito de travessia a outras propriedades, como é prática comum na vizinha Sabi Sand. O parque está entre o Parque Nacional Kruger e a Reserva Sabi Sand, com fronteiras abertas em ambos os lados. A vegetação consiste em savana florestal, floresta ribeirinha densa, savana de acácia, pastagens abertas e afloramentos rochosos. O Rio Sand flui de norte a sul através da reserva por 20 km e atrai abundante vida selvagem na estação seca.
Phinda é a melhor reserva de caça privada de Kwazulu Natal. Está no mesmo nível de algumas das melhores reservas nas populares Sabi Sands, perto do Parque Nacional Kruger, exceto que é totalmente cercada e, portanto, não faz parte de um ecossistema maior. Todos os Big Five são facilmente identificados. A espécie emblemática da reserva é a chita e os avistamentos deste gracioso gato são insuperáveis. Oferece algumas das melhores vistas da vida selvagem do país. Todos os grandes animais de safári, incluindo os Big Five, geralmente são avistados em uma estadia de duas noites. Além dos Big Five, há um foco principal na chita, já que Phinda é conhecida por avistar esse gato aerodinâmico. Ambas as espécies de rinocerontes estão presentes e são vistas regularmente. Quatro alojamentos diferentes foram posicionados para vivenciar os diferentes habitats do parque. O Forest Lodge está situado no coração da rara floresta de areia seca, enquanto o Mountain Lodge tem vista para a reserva do topo de um koppie. O Vlei Lodge tem vista para o vasto pântano e o Rock Lodge fica suspenso sobre um vale profundo abaixo.
Sabi Sands compartilha uma fronteira não cercada de 50 km com o Parque Nacional Kruger e oferece a melhor observação da vida selvagem na África do Sul. A área é dividida em reservas de caça privadas individuais, todas oferecendo a melhor experiência dos Big Five, acomodações luxuosas, ótimo serviço e excelente comida. Sabi Sands é o lugar na África do Sul para ver facilmente todos os Big Five em um curto período. Mesmo uma visita de dois dias costuma ser suficiente para ver todas as espécies emblemáticas. Com uma boa população de leopardos altamente habituados, Sabi Sands é um dos melhores lugares em África para ver estes gatos normalmente esquivos. Leão e chita também são facilmente vistos.
Sabi Sands é uma extensão do Parque Nacional Kruger e tem a mesma vegetação relativamente densa que consiste em savana florestal. Dois rios passam pela reserva, fornecendo água. A vegetação ribeirinha é um excelente habitat para leopardos e outros animais selvagens.

É necessário visto para entrar na África do Sul?

Não é necessário de visto para visitar a África do Sul por um período menos de 90 dias. O passaporte deverá ter uma validade mínima de um mês considerando a data de retorno ao Brasil e duas páginas em branco.

É necessário vacina para entrar na África do Sul?

É obrigatório apresentar o comprovante internacional de vacina contra febre amarela, tomada pelo menos até 10 dias antes da viagem, essa vacina é vitalicia.

Qual o fuso horário da África do Sul?

A África do Sul está 2 horas a mais que a UTC, portanto 5 horas a mais que o Brasil (horário de Brasilia).

É recomendado usar seguro saúde?

Não só na África do Sul, mas em qualquer outro pais, o seguro saúde é bem recomendado, e algumas seguradoras tem seguro até contra extravio de malas. Vale a pena contratar.

Qual o idioma falado pelos sul-africanos?

No total são 12 idiomas oficiais e 8 idiomas não oficiais. Dos idiomas oficiais estão inglês e africaner. Alguns tours em Cape Town são oferecidos em espanhol.

Quanto dinheiro levar?

África do Sul, é um pais intermediario em relação aos custos, existe opções para todos os bolsos, desde hospedagem em hostel, até os luxuosos lodges nos safaris. Nas refeições, também tem um leque de opções para todos. Considere algo de USD 100 por dia, para comprar comida e algum souvenir. Para entradas em parques e museus, (caso contrate no local), considere uns USD 30 por dia.

Tempo de viagem entre as principais cidades:

Em carro
Cape TownPort Elizabeth9h
Cape TownFranschhoek1h
Cape TownBoulders Beach40min
Cape TownCabo da Boa Esperança1h
Cape TownJohannesburgo14h
Cape TownKnysna5h40min
Boulders BeachPort Elizabeth9h
Boulders BeachCabo da Boa Esperança30min
FranschhoekCabo da Boa Esperança2h
FranschhoekPort Elizabeth7h40min
Boulders BeachFranschhoek1h40min
JohannesburgoParque Pilanesberg1h
JohannesburgoSun City2h20min
JohannesburgoPretoria45min
JohannesburgoParque Kruger4h45min
Sun CityParque Pilanesberg40min
Sun CityPretoria1h50min
Hluhluwe-iMfoloziParque Kruger7h
Hluhluwe-iMfoloziPhinda25min
Hluhluwe-iMfoloziSabi Sand8h
Parque KrugerPhinda6h35min
Em avião
JohannesburgoCape Town2h
JohannesburgoPort Elizabeth1h35min
JohannesburgoKnysna2h30min
Cape TownPort Elizabeth1h10min
Cape TownKnysna1h
Hluhluwe-iMfoloziSabi Sand4h

Onde comprar?

Em Cape Town, é uma cidade grande e desenvolvida e tem alguns shoppings que vale a pena a visita, como o Canal Walk. E um dos principais pontos turísticos e um grande complexo entre lojas e restaurantes é o Waterfront, onde também está o Victoria Wharf Mall e o Waterfront Craft Market.
Ainda em Cape Town, tem as opções de ir na Long Street, Grrenmarket Square, Old Biscuit ou no Cape Quarter, localizado no The Piazza.
Em Johannesburgo as opções são: para muitas compras é o shopping Sandton City, o shopping de céu aberto o Nelson Mandela Square, o shopping Rosebank e o complexo Melrose Arch, o Montecesino – que além de compras poderá fazer as apostas nos jogos.